Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Eleições 2010

Gigantes engolem nanicos e MS terá três candidatos ao Governo

29 JUN 10 - 06h:35
Maria Matheus

A eleição deste ano deve ter apenas três candidatos ao Governo do Estado: André Puccinelli (PMDB), José Orcírio dos Santos (PT) e Ney Braga (PSOL). Devido à falta de estrutura para enfrentar os “gigantes”, o PSTU abriu mão de concorrer ao Governo, o PMN foi arrebanhado pelo PMDB e o PV fechou com o PT. Apesar de ter sido anunciado como integrante do arco de alianças de Puccinelli, o PSDC ainda não selou a união.
Depois de concorrer a três eleições consecutivas, Suel Ferranti (PSTU) disse que o partido decidiu não lançar candidatura própria ao Governo do Estado, porque a sigla não tem dinheiro para a campanha. Suel concorreu em 2004, como candidato ao governo. Em 2006, disputou o Senado e, em 2008, a prefeitura.

“Não temos condições de sair sozinho para disputar com a grana que o (André) Puccinelli tem, que o PT tem”, explicou. “Fazer uma candidatura municipal sem dinheiro é uma coisa — pode fazer campanha a pé, vai de ônibus, de bicicleta. Mas disputar uma candidatura estadualizada é outra”, comentou Suel, presidente regional do partido. “A não ser que até o final do mês, o PSOL mude de ideia e chame a gente e o PCB para fazer uma frente classista”, disse.
Como não conseguiu fechar aliança com o PSOL, o PSTU também não lançará candidatos a deputado estadual ou federal. Os dois partidos se desentenderam porque ambos têm candidato ao Palácio do Planalto. O PSTU lançou José Maria de Almeida para Presidência da República. O PSOL tem Plínio Arruda Sampaio como candidato a presidente.

O Partido Verde cogitou lançar Eduardo Romero para a sucessão de Puccinelli, mas domingo sacramentou aliança com o PT, indicando Tatiana Ujacow como candidata a vice na chapa de José Orcírio.
Outro partido que desistiu de disputar o Governo é o PMN, que fechou com o PMDB. A legenda lançaria Iara Costa. Ela já havia disputado a Prefeitura de Campo Grande em 2008.

Na convenção do PMDB, no último sábado, o PSDC foi citado entre os partidos que apoiam a reeleição de Puccinelli. Ontem, porém, o presidente regional da legenda, Elizeu Amarilha, assegurou que o acordo não foi fechado. “A estrutura que nos ofereceram foi ínfima. Não dá para fazer campanha nem de bicicleta”, disse. Segundo Amarilha, o partido deve decidir hoje se lançará candidatura própria ou se selará aliança com PMDB ou PT. O candidato ao Governo seria Coronel Azamur e não mais Elizeu Amarilha, que anteriormente havia divulgado a intenção  de entrar na disputa. Ele já havia concorrido em 2006, quando Puccinelli foi eleito governador.

Assim, dentre os nanicos, a menos que o PSDC decida hoje pela candidatura própria, apenas o PSOL terá representante na sucessão estadual. Ney Braga foi filiado ao PT, é comerciante e disputará eleição pela primeira vez.
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

CASO DO TRIPLEX

PGR envia ao STJ parecer contra anulação da condenação de Lula

SAÚDE PÚBLICA

OMS declara emergência internacional por surto de ebola no Congo

Reviva tem 77% das obras <br>concluídas na 14 de Julho
CAMPO GRANDE

Reviva tem 77% das obras
concluídas na 14 de Julho

Mandetta lançará programa inédito em Campo Grande na segunda-feira
SAÚDE

Mandetta lançará programa inédito em Campo Grande

Mais Lidas