Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

INDICIADO

Gerente confessa desvio de R$ 1,2 mi de empresa

4 FEV 14 - 08h:30TARYNE ZOTTINO

A Delegacia Especializada de Combate ao Crime Organizado (Deco) indiciou Ivandro Josef Komm, 40 anos, gerente de uma empresa de Campo Grande destinada a gerenciar propriedades rurais, por ter desviado R$ 1,2 milhão, quantia que deveria ter sido depositada em contas judiciais da empresa, para pagamento de tributos. Ivandro trabalhou como gerente administrativo da empresa de março de 2010 a outubro de 2012, período em que recebeu inúmeros cheques destinados a pagamentos de tributos e que foram depositados em várias contas bancárias, em proveito do acusado e seus familiares. De acordo com a Deco, depois de desviar o dinheiro, o acusado falsificava a quitação das guias dos impostos, que eram apresentadas na empresa, que acreditava que as guias estivessem devidamente pagas.

A empresa só desconfiou do golpe, quando verificou a existência de vultoso débito no pagamento das guias de tributos, das quais haviam comprovantes de quitação, que na realidade foram falsificadas por Ivandro, conforme ficou comprovado durante as investigações. Segundo o delegado responsável pelo caso, João Eduardo Davanço, o acusado adquiriu dois veículos, um Fiat Línea e uma Captiva, e imóveis (um apartamento na planta de uma construtora e uma casa no bairro Alto Sumaré, em Campo Grande) com o dinheiro desviado. “Além disso o Ivandro comprou em nomes de terceiros 3 mil sacas de soja, avaliadas em R$ 200 mil, nas cidades de Laguna Carapã e Ponta Porã”, explica o delegado. “Ele também realizou diversas viagens turísticas com seus familiares para as cidades de Natal (RN) e Florianópolis (SC) e um luxuoso cruzeiro para a Argentina e Uruguai, tudo com o dinheiro desviado da empresa”, enfatiza.

Ivandro confessou os crimes e afirmou que movimentou o dinheiro desviado da empresa entre diversas contas bancárias. “Ele inclusive abriu uma nova conta bancária, com a finalidade específica de dissimular e ocultar o dinheiro desviado, bem como, confirmou que comprou soja em nome de terceiros na tentativa de esconder os valores desviados”, informou Davanço. Foram sequestrados e imobilizados os bens móveis e imóveis em nome de Ivandro e seus familiares, além da soja em nome de terceiros. O acusado foi indiciado por furto qualificado pelo abuso de confiança, com pena de reclusão de 2 a 8 anos e multa, falsificação de documento público, com pena de reclusão, de 2 a 6 anos e multa, uso de documento falso, com pena reclusão, de 2 a 6 anos e multa e também pelo crime de lavagem de dinheiro, que prevê pena de reclusão de 3 a 10 anos e multa.

“Com a finalização dos trabalhos de Polícia Judiciária foi representada pela Prisão Preventiva do indiciado Ivandro, e encaminhado o Inquérito Policial para apreciação do Poder Judiciário”, afirmou o delegado.
 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Com novos saques, aplicativo do FGTS lidera ranking em loja virtual
ANDROID

Com novos saques, aplicativo do FGTS lidera ranking em loja virtual

BRASIL

Sérgio Moro visitou Bolsonaro no hospital neste domingo

EM REPOUSO

Bolsonaro lista no Twitter medidas do governo dos últimos dias

Presidente recebeu no domingo visita do ministro Sergio Moro
SAÚDE

Número de cirurgias bariátricas aumenta 84,73% em sete anos

Estimativa é 13,6 milhões de brasileiros precisem do procedimento

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião