Segunda, 19 de Fevereiro de 2018

COZINHA

Gastronomia pantaneira inova com pratos contemporâneos

17 DEZ 2010Por DIÁRIO ONLINE07h:06

Acerola, manga , tangerina e abacaxi. Essas foram as surpresas reservadas na tarde de quarta-feira, 15 de dezembro, na Degustação de Pratos Pantaneiros, do curso de gastronomia do Moinho Cultural em parceria com a área social do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento). A tarde de degustação encerrou o curso que teve início no dia 20 de outubro.

"Esta é a quarta turma a se formar por meio dessa parceria. Esta última turma, iniciou com um total de 50 mulheres, porém, apenas 20 permaneceram até a conclusão. Durante estes 40 dias, elas receberam noções que vão além da culinária. Receberam noções de manipulação de alimentos, de montagem de mesa, depois introduzimos os pratos mais fáceis, à base de carne, e em seguida frango e peixe. Elas aprenderam de tudo um pouco, até biscoito, é uma aprendizagem que gira em torno da culinária da terra. Logo, elas devem ter conhecimento do quebra-torto também. No total foram ensinadas cerca de 50 receitas", explicou a culinarista Lídia Aguilar Leite, responsável pelo setor de gastronomia da Vila do Conhecimento, núcleo profissionalizante da escola de artes que tem a gestão da Ong IHP (Instituto Homem Pantaneiro).

Além da aprendizagem de prática culinária, o curso tem por objetivo a geração da sustentabilidade social, viabilizando a inserção dessas pessoas no mercado de trabalho local. Eronildes Conceição Martins, 50 anos, após o curso, planeja abrir um restaurante com a filha. "Fiquei sabendo do curso e como sempre gostei de cozinhar, decidi fazer. Como a proposta é muito boa, eu e minha filha já decidimos que vamos abrir um restaurante, mas este é um projeto que deve caminhar por metade do ano de 2011. É a realização de um grande sonho, ter o próprio negócio", contou ao Diário.

Além de tudo, Eronildes também decidiu mudar de profissão: de enfermeira passou a cozinheira. "Minha profissão era enfermeira, bem diferente da que eu tenho hoje. Acredito que foi um bom negócio investir em outro setor. Me sinto realizada na cozinha e pretendo fazer mais cursos a fim de me capacitar", concluiu.

Inovações

De acordo com a culinarista Lídia Leite, a conclusão do curso, se deu com a criatividade das alunas, que foram desafiadas a criarem pratos novos, à base de produtos da terra, que fossem de fácil preparo e de gastos acessíveis à comunidade local. As alunas apresentaram os seguintes pratos: peixe ao molho de manga; strudel de frango ao molho de acerola; frango recheado com damasco ao molho de tangerina; lagarto recheado ao molho de abacaxi; barbecue ao molho de queijo; trouxinha recheada com carne seca ao molho de abóbora e nhoc frito ao molho de carne seca.

Maria Lúcia Garcia, 35 anos, juntamente com sua parceira, Isabel Silva, criaram o prato de strudel de frango ao molho de acerola. Questionadas sobre onde buscaram a inspiração para a receita, apenas disseram que foi no dia a dia. "Todos os dias passamos por frente de várias casas na cidade quem têm a fruta no quintal, logo, resolvemos criar uma receita com esse diferencial, utilizarmos a fruta que está ao nosso alcance. Nossa proposta deu certo, pois na primeira tentativa, conseguimos chegar ao ponto que queríamos e estamos satisfeitas, o resultado foi muito bom e aprovado pela nossa professora Lídia", disse Maria Lúcia.

Em 2011, o curso de culinária terá continuação com uma nova turma no mês de março. Até o momento, um total de 120 pessoas se formaram no curso de culinária, distribuídas em quatro turmas ao longo de 2010. Fonte: Diário Corumbaense (www.diarionline.com.br).

Leia Também