Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Garota anuncia acordo no Facebook, e pai perde indenização de US$ 80 mil

4 MAR 14 - 02h:00midiacon

O comentário publicado por uma jovem no Facebook fará com que seu pai deixe de embolsar US$ 80 mil (cerca de R$ 187,6 mil) ganhos em um processo. Isso porque a Justiça dos EUA considerou que a postagem na rede social violou um acordo de confidencialidade.

Apesar da exigência de sigilo, a jovem escreveu (em inglês) no Facebook: "Mamãe e papai Snay ganharam o caso contra a Gulliver. A Gulliver agora está oficialmente pagando pelas minhas férias de verão na Europa", publicou Dana, que não teve a idade divulgada. Ela terminou o post com a frase "suck it", algo como "se ferraram" em tradução livre.

O processo em questão foi aberto em 2011 por Patrick Snay, 69, porque ele não teve seu contrato como diretor renovado na Gulliver Preparatory School. Segundo a "CNN", Snay alegou ter sido vítima de discriminação, por causa da idade, e acabou ganhando a ação em novembro daquele mesmo ano.

A instituição concordou em pagar US$ 10 mil (cerca de R$ 23,45 mil) retroativos, US$ 60 mil (cerca de R$ 140,7 mil) das despesas com advogados e mais US$ 80 mil para encerrar o caso. O acordo especificava que Snay e sua mulher não poderiam comentar o processo com ninguém, apenas com seus advogados. Logo em seguida, a garota anunciou a vitória no Facebook, onde tinha mais de 1.200 amigos.

Quatro dias depois do acordo, a escola enviou uma carta aos advogados de Snay. Nela, informavam que a cláusula de confidencialidade havia sido quebrada, e os US$ 80 mil não seriam pagos.

Decisão
Na sequência, Snay conseguiu na Justiça uma confirmação de que o acordo era válido. Mas a escola recorreu e acabou conseguindo, na semana passada, a decisão favorável.

"Snay violou o acordo fazendo exatamente aquilo que prometeu não fazer. Sua filha fez aquilo que a cláusula de confidencialidade queria prevenir, anunciando para a comunidade de Gulliver que Snay havia ganhado um caso de discriminação por idade contra a escola", diz a decisão.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

SAÚDE

Bolsonaro será avaliado em Brasília pela equipe médica antes de viagem a NY

DOLEIRA

TRF-4 nega recursos da União para blindar R$ 43 mi de delatora da Lava Jato

BRASIL

Relatório da indicação de Aras à PGR deve ficar pronto até terça

INTERIOR

Suspeitos invadem fazenda e abatem vaca prenha

Funcionário encontrou apenas cabeça e vísceras do animal

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião