Campo Grande - MS, quinta, 16 de agosto de 2018

FUTEBOL

Ganso interfere na política de rivais

13 ABR 2011Por FOLHA ONLINE08h:13

O tom político da disputa entre o Santos e os representantes do meia Paulo Henrique Ganso, 21, ultrapassou os muros da Vila Belmiro e agora motiva também a luta pelo poder no Corinthians.

Ontem, o diário "Lance!" noticiou que o jogador aceitou uma suposta oferta corintiana, intermediada pelo ex-atacante Ronaldo, e irá para o clube ao final da participação santista na Libertadores.

Para isso, o Corinthians contaria com a ajuda do DIS, fundo que representa o atleta e detém 45% de seus direitos.

A empresa pagaria a multa nacional (cerca de R$ 54 milhões) e usaria o time como ponte para uma transferência para a Europa, em 2012.

O acordo foi negado. "Não é certo, não é ético. Não vamos pagar a multa rescisória nem passar por cima de um coirmão", disse o presidente corintiano, Andres Sanchez.

"O que existe é uma enorme sacanagem. Em período de partidas importantes, vêm esses factoides ocupar o tempo da imprensa, do presidente do Corinthians, do Ronaldo", bradou o mandatário santista, Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro, citando o duelo com o Cerro Porteño, amanhã, que define a vida do Santos na Libertadores.

O fato, mesmo sem confirmação, serviu de combustível para os grupos políticos que duelam nos bastidores dos dois clubes, que realizarão eleições neste ano.

Do lado santista, acusa-se a oposição, liderada pelo ex-presidente Marcelo Teixeira. "É cansativo imaginar que tem gente por trás disso com interesses financeiros e eleitorais", afirmou Luis Alvaro.

Teixeira, no período em que comandou o clube, foi aliado do DIS, hoje em guerra com a atual diretoria. Thiago Ferro, do DIS, não foi localizado ontem pela reportagem.

"Foi na gestão passada que essas parcerias desastradas, que usam indevidamente a camisa do clube para ganhar dinheiro, foram introduzidas", protestou o atual presidente do Santos.

A oposição corintiana capitaliza a informação veiculada e ataca Andres. Diz que, se o clube não tem dinheiro para nada e vive com patrimônio penhorado, não pode pensar em contratações milionárias como a de Ganso.

O Santos se fia num acordo diplomático com os grandes de São Paulo, revelado pela Folha na semana passada, para minimizar o suposto interesse corintiano no meia.

Por meio dele, os presidentes se comprometeram a não assediar atletas rivais.

"O Andres me ligou outro dia e me disse para ficar absolutamente tranquilo", disse Luis Alvaro. "E eu tenho plena confiança no Andres."

Leia Também