Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

NEGOCIAÇÃO

Ganso foi oferecido a Corinthians, Palmeiras e São Paulo

Ganso foi oferecido a Corinthians, Palmeiras e São Paulo
01/04/2011 00:00 - terra


O presidente do Santos, Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro, confirmou que o meio-campista Paulo Henrique Ganso foi oferecido aos três arquirrivais paulistas - Corinthians, Palmeiras e São Paulo - pela DIS, detentora de 45% dos direitos do atleta. A empresa pretendia tirar o jogador do time da Vila Belmiro e repassá-lo a outro clube brasileiro.

"Os presidentes de São Paulo, Palmeiras e Corinthians me disseram que foram todos procurados pelos representantes do Ganso. Além do Corinthians (situação divulgada anteriormente pela mídia e confirmada pelo mandatário alvinegro, Andrés Sanchez), os outros também confirmaram", diz Luis Alvaro.

A DIS - braço direito do Grupo Sonda - já havia confirmado que tentou negociar o camisa 10 com o Corinthians. O grupo segue em atrito jurídico com o Santos pela venda do volante Wesley ao Werder Bremen, pois o clube praiano não tinha repassado a parte financeira que a empresa teria direito com a transação.

"O Santos conversou com os presidentes dos três clubes e explicou nossa posição. Dissemos que não gostaríamos que fizessem conosco o que não faríamos com eles. Temos um pacto de um não prejudicar o outro", emendou o presidente santista, que acrescentou que os rivais toparam o acordo "pela ética que existe entre os rivais, pois os empresários que representam Paulo Henrique Ganso estão forçando a barra".

O próprio Paulo Henrique disse à diretoria santista que pretende atuar no futebol europeu e pediu redução da multa para 30 milhões de euros. O atleta ainda recusou o plano de carreira oferecido pelo clube e segue sem renovação contratual. O vínculo atual dura até 2015.

Felpuda


Em uma das eleições em MS, candidato já oficializado na convenção corria o trecho para conquistar os eleitores. Mal sabia, porém, que time do seu partido e de aliados estava tramando sua derrubada para emplacar substituto que teria mais votos. Por muito pouco, o dito-cujo não foi guilhotinado, conseguindo salvar o pescoço. Agora tudo indica que o mesmo processo estaria em andamento e seria mais fácil, pois a “vítima” desta vez ainda é só pré-candidato. Dizem que a “turma da trairagem” tem know-now no assunto.