Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, segunda, 10 de dezembro de 2018

Ganhando espaço

30 ABR 2010Por 03h:01
Daniela Pessoa, Bolsa de Mulher

O espaço é de grande valor e para além da necessidade de aproveitar cada centímetro, não desejamos que essa limitação atrapalhe o ambiente e a sua decoração. Mas existem diversas formas para decorar uma área pequena, sem prejudicar o estilo ou a funcionalidade, para satisfazer todas os desejos.


A integração de ambientes em ambientes pequenos, quer dizer, evitar portas e divisórias, oferece mais espaço e ajuda na circulação de pessoas. Em lugares familiares é importante integrar sala e cozinha já um apartamento de solteiro, essa integração pode ser um pouco maior, por exemplo, quarto e sala com divisões somente de painéis móveis, para quando o morador necessitar de privacidade. As texturas nas paredes precisam ser evitadas, seu uso em área pequena pode ficar sobrecarregada. A utilização de espelhos é uma recomendação simples, econômica e fácil de implantar, eles ajudam bastante para a sensação de amplitude do espaço.

Guarde os tons mais fortes e marcantes para pequenas áreas, uma parede de canto, nichos que possam existir nas paredes ou almofadas sobre o sofá; use os tons claros sem preocupação, tanto nas paredes como no piso. Preferencialmente, opte por uma decoração monocromática, ou seja, escolha uma só cor e utilize-a em tons de intensidade variada. A pintura de paredes e tetos de um só tom amplia  o campo de visão  e, se a tinta tiver um acabamento com brilho, tanto melhor, porque, ao refletir mais luz, engrandece o espaço. Se a mobília for escolhida em tons idênticos aos das paredes, o espaço tornar-se-á mais harmonioso e amplo – as cores contrastantes fazem o contrário, ou seja, “cortam” o espaço, encurtando-o. Reserve as cores fortes para os têxteis e outros pequenos apontamentos.

Elimine todos os objetos que não combinem com a divisão e decoração pretendida e/ou que não tenham utilidade alguma– não há espaço para acolher coisas pouco essenciais. O que escolher deve ter um lugar certo, porque ao manter tudo organizado e no lugar, o espaço vai automaticamente parecer mais amplo e arejado.

A luz natural é o melhor amigo de um espaço pequeno, inundando-o com um efeito surpreendente que parece aumentar o recanto mais minúsculo. Se não interferir com a sua privacidade, evite pendurar cortinas; se fizer questão de vestir as janelas, escolha um cortinado leve e semitransparente, sempre em tons claros.
Evite dispor mobiliário junto às portas das divisões e nas áreas de passagem – para, além de não ser prático, vai apertar ainda mais um espaço que já é reduzido. Aposte em mobília “curta” – puffs, cadeiras sem braços, mesas baixas – para não roubar centímetros preciosos e “abrir” mais o ambiente. Em termos de objetos decorativos, principalmente os que são mais altos, deve colocá-los, de preferência, junto às paredes em vez de no espaço aberto. Um chão visível fará qualquer divisão parecer maior, ao contrário de um coberto por tapetes. Se não abdica de um bom tapete, opte por colocá-lo apenas numa parte do espaço, deixando sempre algum chão à vista.

As televisões estão presentes em todos os cantos da casa e podem ser verdadeiros “intrusos” em espaços diminutos. A solução? Um suporte específico para televisões que podem ser afixadas às paredes ou então modelos como os LCD que são perfeitos para pendurar. Num quarto para crianças com dimensões reduzidas, continua a ser fácil decorar com diversão: opte por beliches ou então as camas 2-em-1, onde uma delas está camuflada como uma espécie de gaveta encaixada sob a cama de cima, podendo ser aberta de noite e ocultada de dia. Ainda no que toca ao espaço dos baixinhos, recorra aos arrumadores de parede não só para decorar, mas também para organizar.

Mesmo as casas menores têm corredores e, embora sejam espaços de passagem, podem ser decorados elegante e eficientemente: é o local ideal para colocar armários estreitos (ganhando espaço de arrumação diverso) ou então para exibir a sua biblioteca. Se preferir deixá-lo vazio, pintar as suas paredes com riscos horizontais irá alongar o corredor. Os materiais transparentes alongam qualquer zona porque acabam por refletir a luz e o próprio espaço: pode ser uma mesa com tampo de vidro ou de acrílico, portas e armários com vidro, cadeiras em acrílico transparente, uma porta de duche ou um biombo.

Numa cozinha com poucos metros quadrados, escolha uma mesa que possa ser afixada à parede e aberta exclusivamente à hora das refeições; bancos altos ou empilháveis; uma barra de aço inox afixada sobre a bancada para organizar todo o tipo de utensílios – uma decoração minuciosa para poder cozinhar e saborear com muito estilo.

Embora quase sempre pequenos, os banheiros podem ser habilmente decorados, basta aproveitar as suas paredes para instalar prateleiras bonitas e funcionais, fotografias emolduradas, espelhos vistosos, um porta-rolos vertical para papel higiénico, um banco com arrumação interior ou que sirva para colocar a roupa suja. Em quartos de dormir apertados, troque as tradicionais mesas-de-cabeceira por cubos ou prateleiras afixadas ao mesmo nível, para conseguir o mesmo efeito, com a vantagem de conseguir um look original e apelativo.

Procure otimizar recantos que parecem demasiado pequenos para se transformarem em algum propósito interessante: será que aquele nicho não é mais do que suficiente para montar um pequeno escritório ou esconderijo para leitura? O espaço debaixo de uma escada também podia acolher uma mesa e um banco com o telefone ou então uma prateleira embutida para mil e um objetos. O mesmo aplica-se aos espaços existentes nos patamares das escadas.
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também