Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, terça, 13 de novembro de 2018

DESTEMPERO

Galvão perde a linha e discute com comentarista no ar

2 AGO 2012Por terra07h:10

O narrador Galvão Bueno perdeu a linha ao vivo nesta quarta-feira, durante apresentação do programa Conexão SporTV. Ao se irritar com uma brincadeira do comentarista Renato Maurício Prado, Galvão teve um destempero, pediu retratação do companheiro, bateu boca, recuou na discussão e tentou fazer as pazes, mas "ficou no vácuo" após tentativa de um cumprimento com as mãos.

No momento da discussão, os convidados do programa falavam sobre a Seleção Brasileira masculina de vôlei. Com os ex-jogadores Nalbert, Carlão e Marcus Vinicius Freire - este medalhista de prata na Olimpíada de 84 e atualmente superintendente executivo de esportes do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) - na bancada, Renato Maurício Prado "provocou" Galvão ao dizer: "agora fala (para o Freire) o que você falou da medalha de prata, que só ganharam por causa do boicote".

Surpreso pelo comentário, Galvão prontamente perdeu a compostura. "Não falei isso! Não falei isso! Milhões de pessoas estão assistindo ao programa. Jamais disse isso! Você foi deselegante no seu tom!", bradou o apresentador, nitidamente transtornado pela colocação. Curiosamente, Nalbert também havia dito, do outro lado, pouco antes: "é, agora fala".

Ao ver a reação de Galvão, Renato Maurício Prado se manteve firme, mas cauteloso. "Não fui deselegante", disse, para ser rapidamente rebatido: "extremamente deselegante! Diga por favor que não falei isso".

O comentarista, atônito, retrucou dizendo que era apenas uma brincadeira, mas novamente foi "engolido" pela fúria de Galvão: "Nananananão. Tem que ter responsabilidade no que você fala. O que eu disse foi que em 84 tinham times fortes, que teriam sido duros de ganhar", afirmou Galvão.

Foi então que, em meio ao ímpeto irritado de Galvão, o comentarista Renato Maurício Prado também perdeu a linha. Contrariado, se ajeitou na cadeira, desencostou do banco e disparou: "ah, nós ficamos o programa todo em tom de brincadeira. Aí, eu faço uma brincadeira e você vem com essa indignação? Pelo amor de Deus", bradou, "amansando" Galvão, que disse: "faça brincadeiras, mas não diga que eu disse isso".

A partir daí, o narrador recuou e começou a "tentar a paz" com o companheiro, que já havia se ofendido. "Poderia ter entrado na brincadeira, não justifica a indignação!", declarou, observando enquanto o apresentador lhe esticava as mãos para um cumprimento. "Tá bom", ainda afirmou em tom de voz baixa Galvão Bueno, milésimos de segundos antes de estender as mãos e "ficar no vácuo" ao ser totalmente ignorado por Renato Maurício Prado.

Em 1984, os Jogos Olímpicos de Los Angeles sofreram boicote dos países do antigo bloco socialista, em retaliação ao que fizeram os americanos quatro anos antes, em Moscou.
Dos países do antigo bloco socialista apenas a Romênia, República Popular da China e Iugoslávia (as duas últimas ainda neutras) decidiram competir. Com isso, equipes fortes no vôlei e em outros esportes ficaram de fora. O Brasil foi prata no vôlei masculino, ao perder o ouro para os EUA por 3 sets a 0.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também