Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Crise na Líbia

Gaddafi criará um ''inferno'' se Líbia for atacada

18 MAR 11 - 14h:05r7

Em uma entrevista à Rádio Televisão Portuguesa" (RTP), na qual advertiu que um conflito como esse acabaria com a segurança no Mediterrâne, Muammar Gaddafi assegurou que criará um "inferno" sobre quem atacar.

- Se o mundo atua como um louco, nós faremos o mesmo. Vamos responder. Também faremos de sua vida um inferno. Nunca terão paz. A região do Mediterrâneo ficaria danificada, destruída, não haveria nenhuma circulação segura nem marítima nem aérea.

Na entrevista, Gaddafi se mostrou convencido de que o povo de Benghazi, onde se concentram os rebeldes contra seu regime, é fiel a ele e quer ser libertado dos "agentes de [Osama] Bin Laden".

- O povo de Benghazi está conosco, está comigo, nos pedem que vamos libertá-los. Estamos combatendo o terrorismo, que é um inimigo para a Líbia e para o mundo.

Perguntado sobre possíveis negociações para acabar com o conflito que vive seu país, Gaddafi se perguntou primeiro com ceticismo: "Com quem?", embora mais adiante tenha expressado sua disposição, "se for necessário", de conversar com os "terroristas".

O dirigente líbio também rejeitou a intervenção do Conselho de Segurança da ONU e afirmou que não reconhece suas resoluções porque não há uma guerra entre dois países que a justifique.

Ditador da Líbia descumpre cessar-fogo e mantém ataques

Apesar da promessa de cessar-fogo imediata anunciada nesta sexta-feira (18), forças do governo da Líbia continuam a atacar fortemente a cidade Misurata, provocando a morte de pelo menos 25 rebeldes, indicam testemunhas à imprensa internacional.

Abdulbasid Abu Muzairik, residente na cidade costeira no leste do país, disse à rede árabe Al Jazeera que houve bombardeios de artilharia e tanques.

- As forças de [Muammar] Gaddafi estão na periferia da cidade, mas eles continuam a bombardear o centro. O cessar-fogo não está acontecendo, ele [Gaddafi] continua a matar o povo da cidade.

Mohamed Ali, um membro do Conselho Nacional de oposição na cidade, descreveu cenas de guerra à Al Jazeera.

- Não há cessar-fogo em Misurata. Bombas estão caindo por toda a cidade agora, enquanto falamos. Esse ditador assassino começou os ataques de madrugada em todas as direções.

De acordo com Ali, Misurata é a última cidade-chave da oposição e Gaddafi está empreendendo a mesma ofensiva sangrenta que operou em Az Zawiyah dias antes.

As localidades ficam no leste do país, reduto tradicional dos opositores e onde um conselho de transição foi instalado após o início dos protestos, em fevereiro.


 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Júri condena dois acusados de atacar judeus em 2005 em Porto Alegre
BRASIL

Júri condena dois acusados de atacar judeus em 2005 em Porto Alegre

BRASIL

Brumadinho: sobe para 212 o número de mortos identificados em tragédia

BRASIL

Bolsonaro e Piñera rejeitam intervenção militar na Venezuela

BRASIL

Caminhoneiros se mobilizam para nova paralisação, mostra monitoramento

Mais Lidas