segunda, 16 de julho de 2018

Fusão

Fusão do DEM com PMDB encontra resistência em MS

11 NOV 2010Por Fernanda Brigatti05h:15

O DEM de Mato Grosso do Sul não apoia a iniciativa nacional, liderada pelo prefeito de São Paulo (SP) Gilberto Kassab, de discutir fusão com o PMDB. O presidente da sigla em Mato Grosso do Sul, o vice-governador Murilo Zauith, relatou ontem que foi procurado pelo prefeito, mas entende que se trata de um projeto pessoal de Kassab.

“Cada Estado tem sua particularidade. O DEM de São Paulo anda bem com o PMDB, assim como o DEM de Mato Grosso do Sul”, disse.

Segundo Murilo, o prefeito de São Paulo disse ter interesse em trabalhar pela fusão dos dois partidos. O presidente democrata no Estado entende que a decisão teria que passar por uma consulta em todo o País. Ele avalia que, para o PMDB, unir as duas siglas seria ótimo, pois ampliaria sua bancada.

Para o presidente do DEM em Campo Grande, vereador Airton Saraiva, somente o PMDB se beneficiaria com a fusão, pois teria a maior bancada no Congresso e enfraqueceria o PT, partido do governo. “Vejo com tristeza isso, porque o DEM tinha era que ter trabalhado mais para se fortalecer, não teve um projeto de crescimento”, disse.

O vereador acredita que as lideranças nacionais e tradicionais do partido não trabalharam pela ampliação das bancadas e, agora, querem usar a fusão como artifício para manter o poder de influência. “Os mais novos terão muita resistência a essa proposta, como o Rodrigo Maia (deputado federal pelo Rio de Janeiro)”, afirmou.

O fortalecimento do partido deve ser priorizado, segundo o presidente do DEM na Capital. “Um grupo mais antigo está enfraquecido e vem defendendo esse tipo de coisa”, disse.

Em nível nacional, o DEM já admite a possibilidade de Kassab deixar o partido e ingressar no PMDB, quando seu mandato da Prefeitura de São Paulo estiver chegando ao fim, refletindo a aproximação com o vice-presidente eleito Michel Temer, presidente nacional peemedebista.

A resistência à proposta de fusão é grande dentro do DEM e é vista como projeto pessoal de Kassab, que não encontra espaço junto ao PSDB para novas alianças. Até agora, no entanto, segundo reportagem do portal Terra, somente a senadora Kátia Abreu (TO) e o presidente Jorge Bornhausen se interessariam pela fusão. (FB)

Leia Também