Funcionária do McDonald’s traficava heroína junto com lanche

Funcionária do McDonald’s traficava heroína junto com lanche
30/01/2014 20:00 - VEJA


Uma funcionária de uma franquia do McDonald’s foi presa por vender heroína dentro das caixas do produto McLanche Feliz, informa a rede CNN nesta quinta-feira. Shantia Dennis, de 26 anos, trabalhava em uma loja da lanchonete na cidade de Pittsburgh, no oeste dos Estados Unidos. Para os clientes que queriam comprar a droga, bastava passar no ‘drive-tru’ do McDonald’s e falar a ‘senha’: “eu gostaria de um brinquedo”.

O McLanche Feliz é um produto voltado ao público infantil e sempre vem com um pequeno brinquedo junto com o lanche. Nos EUA, o produto custa 2,99 dólares. Porém, com a heroína ‘de brinde’, o McLanche Feliz saia por 82 dólares. A traficante foi presa em uma operação com policiais à paisana fingindo serem consumidores – eles pediram um McLanche Feliz usando a ‘senha’ e encontram dez pacotinhos de heroína dentro da caixa colorida.

A funcionária foi presa em flagrante e, durante a busca, os policiais ainda encontraram outros 50 saquinhos de heroína. Procurado pela CNN, o McDonald’s recusou-se a comentar o caso.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".