Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Funai prepara retirada de ocupantes de terra indígena em Mato Grosso

25 AGO 12 - 13h:41agência brasil

A Fundação Nacional do Índio (Funai) aguarda a Justiça fazer a notificação dos ocupantes ilegais da Terra Indígena (TI) Marãiwatsédé, pertencente aos índios xavantes, para iniciar a desocupação da área de 165 mil hectares, localizada no norte do Mato Grosso (nos municípios de São Félix do Araguaia e Alto Boa Vista). O plano para a retirada pacífica dos ocupantes foi apresentado à Justiça.

Advogados dos fazendeiros dizem que 7 mil pessoas ocupam o território, número não confirmado pela Funai. A data exata do início da operação (prevista para setembro) ainda não está definida e, por razões estratégicas, não será divulgada. A desocupação mobilizará a Força Nacional de Segurança, a Polícia Federal, a Polícia Rodoviária Federal. O Exército poderá ser acionado para dar apoio logístico.

Além do aparato policial e militar, o trabalho requer o cruzamento de dados sobre as ocupações irregulares. Algumas informações, como o dado de desmatamento, têm como origem o Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama); outras, como a situação fundiária, são fornecidas pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra).

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Idosa é atingida por jaca de 4 kg durante procissão
ANDAR COM FÉ EU VOU...

Idosa é atingida por jaca de 4 kg durante procissão

Novo Mercedes-Benz CLA 250
CORREIO VEÍCULOS

Novo Mercedes-Benz CLA 250

Promotoria vai apurar furto de 173 kg de maconha de delegacia
CORRUPÇÃO POLICIAL

Promotoria vai apurar furto de 173 kg de maconha de delegacia

Sem restrição de área, Uber adota PIN em bairros com grande número de crimes
CAMPO GRANDE

Sem restrição de área, Uber adota PIN em bairros com grande número de crimes

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião