Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, quarta, 21 de novembro de 2018

Ponta Porã

Funai não consegue intermediar conflito por falta de escolta policial

5 SET 2012Por AGÊNCIA BRASIL09h:30

Os técnicos da coordenadoria regional da Fundação Nacional do Índio (Funai) em Ponta Porã, Mato Grosso do Sul, ainda não conseguiram chegar à Fazenda Jatobá, ocupada por índios desde a manhã de segunda-feira (3). Segundo o coordenador da unidade da Funai, Sílvio Raimundo, a Polícia Federal não respondeu à solicitação de escolta feita pela fundação.

O coordenador atribui a demora da resposta ao pedido à greve dos agentes de segurança. Ante a demora, uma nova solicitação de acompanhamento foi feita ontem (4) à Força Nacional de Segurança Pública.

Sílvio Raimundo aguarda a resposta do Ministério da Justiça, órgão que coordena as ações da força policial, e espera que, na manhã desta quarta-feira (5), possa ir até o local. Ainda segundo ele, o acompanhamento da Força Nacional de Segurança é necessário para garantir a segurança dos funcionários da Funai.

Os índios guaranis kaiowás e nhandevas ocuparam nesta segunda-feira (3) a fazenda Jatobá, instalada em área de cerca de 4 mil hectares declarada propriedade indígena em abril de 2000. A propriedade fica a cerca de 10 quilômetros do centro de Paranhos, próximo a fronteira com o Paraguai.

Segundo o representante dos índios, a ocupação é um protesto contra a demora na conclusão do processo de demarcação da área e na retirada dos não índios da Terra Indígena Potrero Guasu.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também