Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

UFC

Fui obrigado a desistir de luta, diz Belfort

Fui obrigado a desistir de luta, diz Belfort
01/03/2014 00:00 - band


Logo após ver seu nome fora do UFC 173, quando enfrentaria o atual campeão dos médios Chris Weidman, Vitor Belfort utilizou as redes sociais para negar a informação de que ele desistiu, por conta própria, de encarar o americano no próximo dia 24 de maio, em Las Vegas, nos Estados Unidos. De acordo com o brasileiro, ele foi obrigado a abandonar o combate – dando lugar ao compatriota Lyoto Machida.

“Nunca desisti de lutar no UFC 173 e nunca falei isso”, escreveu Belfort. “O que anunciei foi que estarei ‘desistindo do TRT’ e não ‘desistindo da luta’ para continuar o meu sonho de lutar”, completou o lutador.

“O UFC decidiu colocar outro oponente em meu lugar pelo fato de eu não ter tempo hábil de me adequar às novas regras da NSAC (Comissão Atlética de Nevada, em português). Segundo o UFC, enfrentarei o vencedor de Weidman x Lyoto dentro dos novos regulamentos de todas as Comissões Atléticas”, completou Belfort.

A saída de Belfort do confronto com o algoz de Anderson Silva se deu após a NSAC (Comissão Atlética de Nevada, em português) proibir o uso do TRT (Tratamento para Reposição de Testosterona) – do qual ele é adepto – em competições esportivas no Estado americano.

Felpuda


Sindicalista defende o fim de mordomias e privilégios dos políticos e dos integrantes de outros Poderes, conforme divulgação feita por sua assessoria. Para ele, está na hora de se colocar um basta nessa situação, questionando, inclusive, o número de parlamentares e de assessores. Entretanto, não demonstra a mesma aversão por aqueles dirigentes de sindicatos que se perpetuam no poder e que comandam mais de uma entidade, assim como ele. Afinal, o exemplo deve vir de casa, né?