Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CASAS

Fugir do óbvio é dica de arquiteto para decoração econômica

Fugir do óbvio é dica de arquiteto para decoração econômica
10/09/2012 18:00 - terra


Mudar o visual da casa não significa necessariamente comprar tudo novo. Quando a proposta é economizar, nada melhor do que investir em soluções viáveis e aproveitar o que já tem em casa. O que muita gente imagina ser loucura - como transformar escadas em estantes – pode dar certo e ainda resultar em uma decoração sustentável. “A ideia é fugir do óbvio e trazer novidade para coisas que já possuímos. O reaproveitamento de materiais e a bricolagem (o popular ‘faça você mesmo’) permitem que a reforma se torne mais acessível”, diz Gustavo Calazans, arquiteto.

E o uso de móveis improvisados não está restrito somente a soluções alternativas. Reaproveitar está na moda e peças artesanais ganham cada vez mais reconhecimento nas mostras de decoração. “Ao improvisar existe a possibilidade de diminuir o consumo e ainda criar móveis exclusivos, deixando os ambientes com o jeito do morador”, afirma a designer de interiores Cátia Maiello.

A dica para não errar na hora de transformar o caixote de frutas em porta-trecos é evitar exageros. É que esses objetos se destacam muito e podem deixar os ambientes sobrecarregados. “Tal mobiliário precisa de harmonia. Critérios como texturas, cores, relevos e volumes devem ser analisados” diz a decoradora Magna Lara. Segundo ela, misturar tudo pode ser uma escolha errada. A personalização também conta com a ajuda de novas pinturas e possíveis trocas de tecidos para ser concretizada. Entretanto, caso a ideia seja causar impacto, é interessante deixar o material reaproveitado em estado bruto.

Felpuda


O desgaste de antigas lideranças nacionais, com reflexo em nível local, é a maior preocupação dos dirigentes de partidos para as eleições deste ano, que terá reflexo em 2022. Em épocas passadas, essas figurinhas cruzavam os céus do País para visitarem os municípios e pedirem que a população votasse em seus ungidos. Agora, com pendências judiciais e poder enfraquecido, dificilmente seriam convidadas. A pandemia, que resultou no isolamento social, foi a pá de cal.