sexta, 20 de julho de 2018

RELIGIÃO

Freira australiana que denunciou abuso sexual é canonizada

17 OUT 2010Por 12h:05

 

O papa Bento 16 deu à Austrália sua primeira santa neste domingo, madre Mary MacKillop, do século 19, que informou a seus superiores um caso de abuso sexual, ato pelo qual ela foi punida. 

Em cerimônia na praça São Pedro, o papa canonizou a madre assim como cinco outras figuras da Igreja vindas da Polônia, Espanha, Itália e do Canadá. Todas viveram entre os séculos 15 e 20.

Dezenas de milhares de peregrinos australianos viajaram a Roma para participar da cerimônia na qual o papa declarou a santidade de madre MacKillop, uma das poucas santas na história da Igreja que foi excomungada e depois reabilitada.

Muito em linha com o espírito da jovem nação onde ela vivia naquele tempo, madre MacKillop foi uma pioneira. Ela era a filha de imigrantes escoceses e fundou a ordem das Irmãs de São José do Sagrado Coração em 1867 para ajudar os pobres e educar as crianças.

Independente, ela constantemente entrava em confronto com a hierarquia masculina da Igreja e as tensões levaram à sua excomunhão - a punição mais séria da Igreja Católica, que proíbe a pessoa de receber o sacramento - em 1871. A ordem foi retirada mais tarde.

Documentos descobertos recentemente mostram que Madre MacKillop foi banida da Igreja em parte porque a ordem dela descobriu um caso de abuso sexual de um menino por parte de um padre irlandês.

Em sua pregação na missa, o papa não mencionou nenhum dos problemas de madre MacKillop com a hierarquia masculina da Igreja mas falou do seu "santo exemplo de zelo, perseverança e preces" e dos muitos desafios que ela enfrentou.

Alguns ativistas da Igreja estão pedindo ao Vaticano que a considere a santa padroeira dos que sofreram abuso sexual.

Com r7.com

Leia Também