ESPORTES

Fred retorna ao Fluminense para duelo com a Portuguesa

Fred retorna ao Fluminense para duelo com a Portuguesa
14/04/2010 23:52 -


São Paulo

Derrotado pelo Botafogo por 3 a 2 no fim de semana, e eliminado do Campeonato Carioca, o Fluminense volta as suas baterias para a primeira partida pelas oitavas de final da Copa do Brasil, hoje, às 18h30min (MS), contra a Portuguesa, no Canindé, em São Paulo (SP).

Se no Campeonato Carioca, o Fluminense enfrentou maus resultados, na Copa do Brasil o time voa em céu bem mais tranquilo. Tanto que na etapa anterior eliminou o Uberaba-MG sem a necessidade do confronto de volta, com um triunfo por 2 a 0, em Minas Gerais. A Lusa, por sua vez, superou a Ponte Preta em um choque paulista, ganhando por 2 a 1 no Canindé, após empate por 1 a 1 em Campinas (SP).

Para este jogo, o treinador do Fluminense poderá contar com a principal estrela da companhia. Isso porque o atacante Fred chegou a ser dúvida por ainda sentir dores no tornozelo esquerdo, mas acabou liberado pelo departamento médico. Muito hostilizado pelos torcedores nas últimas partidas, o lateral esquerdo Júlio César não conta mais com a paciência do técnico e foi barrado por Cuca. O meia Marquinho será improvisado no setor.

Pelo lado da Portuguesa, o técnico Vágner Benazzinão poderá contar com o zagueiro Pedro Costa, expulso diante da Ponte Preta. Em compensação, terá o retorno dos volantes Marcos Paulo e Gláuber, que cumpriram suspensão na derrota de 3 a 2 para o Ituano, pela última rodada do Paulistão. O treinador, porém, só vai divulgar a escalação minutos antes do encontro.
smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".