Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CASA

Frases e textos personalizam decoração com criatividade

Frases e textos personalizam decoração com criatividade
05/03/2014 00:00 - TERRA


Um dos grandes objetivos de um projeto de decoração é deixar o imóvel com a cara do morador. Em geral isso é feito por meio de cores, texturas ou gravuras, mas há um recurso ainda mais intimista para personalizar o visual de uma residência: o uso de palavras, frases ou textos que reflitam a personalidade dos moradores.

“A decoração com tipografia tem a proposta de ter mais a ver com a pessoa, é mais pessoal, não é só para enfeitar”, explica Marina Dolabella Dubal, arquiteta e proprietária do escritório DAD, de Belo Horizonte. Segundo a arquiteta, o artifício pode ser usado em diferentes ambientes, como escritório, quarto ou sala. Para não exagerar, o ideal é escolher um local que combine mais com o estilo do objeto tipográfico, seja um enfeite de mesa, suporte para livro, papel de parede, almofada ou até um revestimento para sofá ou cadeiras.

Outro cuidado importante é combinar o estilo da fonte com a decoração do ambiente e, claro, com o perfil do cliente. Marina defende que usar recursos tipográficos é algo que combina melhor com decorações mais modernas. Mesmo assim, é possível harmonizar uma letra clássica com uma decoração mais conservadora. “Dependendo do perfil do cliente dá para casar móveis mais rebuscados com uma escrita mais clássica, cursiva, ou com uma fonte com serifa”, pontua a arquiteta.

Marina recomenda restringir o uso de frases ou citações apenas a passagens que realmente tenham um significado para o morador. “A não ser que seja algo desejado pelo cliente, prefiro evitar, porque é algo que o cliente pode se enjoar mais facilmente depois. Se tiver frase, que seja uma solicitação dele. Caso contrário, adoto iniciais do nome.”

Felpuda


O desgaste de antigas lideranças nacionais, com reflexo em nível local, é a maior preocupação dos dirigentes de partidos para as eleições deste ano, que terá reflexo em 2022. Em épocas passadas, essas figurinhas cruzavam os céus do País para visitarem os municípios e pedirem que a população votasse em seus ungidos. Agora, com pendências judiciais e poder enfraquecido, dificilmente seriam convidadas. A pandemia, que resultou no isolamento social, foi a pá de cal.