Campo Grande - MS, terça, 14 de agosto de 2018

Oceano Altântico

França resgata 2º corpo de vítima nos destroços do voo AF 447

6 MAI 2011Por terra13h:25

As equipes de buscas do Escritório Francês de Investigação e Análises (BEA, na sigla em francês) anunciaram nesta sexta-feira o resgate do segundo corpo encontrado junto aos destroços do Airbus A330 da Air France, que caiu em maio de 2009 no Oceano Altântico quando fazia o voo AF 447. A informação foi anunciada pela direção-geral da polícia francesa, segundo a agência AFP.

O Airbus A330 caiu no dia 31 de maio de 2009 no Oceano Atlântico, quando fazia o voo entre o Rio de Janeiro e Paris, provocando a morte de 228 pessoas. Na quinta-feira, o primeiro corpo foi retirado dos destroços. Segundo uma fonte, o corpo que foi levado à superfície ainda estava em seu assento e em estado de decomposição, depois de ter passado quase dois anos a uma profundidade de 3,9 mil metros.

Os restos mortais foram analisados a bordo de um navio e serão transferidos para Paris na semana que vem, para uma eventual identificação.

Na próxima segunda-feira, está prevista uma reunião entre a polícia, a Justiça e o BEA, em que se pretende avaliar a continuidade da operação de resgate dos corpos das vítimas encontrados junto aos destroços do Airbus A330. O encontro, que será realizado em Paris, quer "validar a possibilidade de continuar içando os corpos", como disse ao Terra a coordenação de imprensa da Polícia Militar francesa nesta sexta-feira.

Duas equipes de especialistas encontram-se a bordo do navio Ile de Seine, de onde é coordenada a operação marítima por meio de robôs Remora 6000: uma tem a missão de recolher peças e outras partes da carcaça do avião que possam ser úteis para as investigações, e a segunda é encarregada de tentar retirar os corpos.

A polícia retirou amostras do corpo resgatado, que serão enviadas à França junto com as duas caixas-pretas do Airbus, recuperadas no início da semana. Inicialmente, as peças e a amostra serão levadas a Cayenne, na Guiana Francesa, de onde partirão de avião rumo a Paris. A expectativa é que os especialistas desembarquem na França até a quarta-feira. De acordo com a polícia francesa, um representante brasileiro vai acompanhar o procedimento e, na capital francesa, participará tanto do trabalho de leitura das caixas-pretas quanto da identificação da vítima por exame de DNA.

Ainda segundo a polícia, os corpos que estão afivelados aos assentos de avião são os mais fáceis de serem resgatados, já que os braços do robô conseguem segurar o banco com mais firmeza. Há vítimas, entretanto, que estão separadas dos assentos. Procurado, o BEA declarou que não comentará o resgate das vítimas e que esta questão é de responsabilidade da polícia e da Justiça francesas.

Leia Também