Quarta, 21 de Fevereiro de 2018

CORRUPÇÃO

Fórum MS discute casos com CNJ

19 OUT 2010Por DA REDAÇÃO19h:09

A Comissão Especial de Acompanhamento das Denúncias de Corrupção em MS, criada pela Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Mato Grosso do Sul e que compõe o Fórum MS pela Ética se reúne nesta quarta-feira (20), às 18h, em Brasília, com a ministra e corregedora do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Eliana Calmon. Durante a audiência, a Comissão irá pedir o empenho do CNJ na apuração das denúncias de suposta corrupção envolvendo os poderes Legislativo, Executivo, Judiciário e o Ministério Público Estadual.

A pedido do Conselho Federal e da OAB/MS, a Corregedoria do CNJ, solicitou informações a respeito das denúncias que envolvem membros do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul.  “Queremos saber mais detalhes a respeito das providências que estão sendo adotadas pelo CNJ e do que já foi apurado até o presente momento”, disse o presidente da OAB/MS, Leonardo Avelino Duarte, que estará presente na audiência com a ministra. Além dele, participarão do encontro, os ex-presidentes da entidade,  Marcelo Barbosa Martins, Elenice Carille e o advogado Marco Antonio Castelo, que fazem parte da Comissão instituída pela Seccional de Mato Grosso do Sul.

Durante a audiência com a ministra Eliana Calmon, os membros da Comissão farão um relato das ações que estão sendo tomadas pelo Fórum MS pela Ética e que envolvem a participação de diversas entidades e conselhos de classe. Até agora já foram realizadas reuniões com o procurador-geral de Justiça , Paulo Alberto de Oliveira, com o superintendente da Polícia Federal em Mato Grosso do Sul,  José Rita Martins Lara e com o Procurador Geral da República em Mato Grosso do Sul,  Blal Yassine Dalloul. 

“Vamos conversar com a ministra a respeito da  preocupação da sociedade sul-mato-grossense em relação a  apuração das denúncias que foram veiculadas pela internet antes da realização do primeiro turno das eleições”,  afirmou Duarte, lembrando que no dia 29 de setembro,  as entidades, em parceria com a OAB/MS, divulgaram uma carta aberta à sociedade.

Leia Também