Campo Grande - MS, sábado, 18 de agosto de 2018

PESQUISA DO BC

Forma de pagamento mais usada ainda é o dinheiro

28 MAR 2011Por folha online13h:00

O Banco Central informou nesta segunda-feira (28), após realizar pesquisa, que, apesar do crescimento dos meios de pagamento eletrônicos nos últimos anos, como cartões de débito e crédito, a forma de pagamento mais utilizada pela população brasileira ainda continua sendo o dinheiro. Essa opção foi assinalada por 72% dos entrevistados.

A pesquisa foi encomendada pelo BC ao Instituto Zaytec Brasil e concluída no primeiro semestre de 2010. Foram feitas, segundo a autoridade monetária, 2.089 entrevistas, contemplando todas as 26 capitais brasileiras e o Distrito Federal, além de municípios com porte a partir de 100 mil habitantes. As entrevistas foram dirigidas à população, ao comércio e aos prestadores de serviços, informou a autoridade monetária.

"Além disso, a maioria da população brasileira continua recebendo seu salário em dinheiro (55%). Verificou-se também um crescimento significativo do número de brasileiros que possuem conta corrente, passando de 39% em 2007, para 51% em 2010, bem como houve um considerável crescimento da participação do cartão, tanto de crédito quanto de débito, no pagamento de contas e compras, principalmente nas compras de super/hipermercados, eletrodomésticos, roupas e calçados", informou o BC.

Circulação
A maior parte dos entrevistados pela pesquisa encomendada pelo BC informou que costuma levar diariamente valores médios de até R$ 20 reais, elegendo as notas de R$ 10 e R$ 5 como suas preferidas e também as que mais sentem falta no momento que precisam fazer um pagamento.
A população brasileira também considera "importante" que as cédulas não estejam rasgadas (82%)

As cédulas recebidas dos bancos são consideradas de boa qualidade por 97% do público e, 15% dos entrevistados, de acordo com o levantamento, informaram sentir "dificuldade" de obter notas de determinados valores, principalmente as de R$ 5 e R$ 2. Questionados sobre o assunto, 67% dos entrevistados gostariam de ter notas de R$ 2, R$ 5 e R$ 10 nos caixas de auto atendimento.

Segundo o BC, aproximadamente 21% dos entrevistados costumam levar diariamente até R$ 3 em moedas. Para o comércio, as moedas de R$ 1 e R$ 0,50 são as que mais fazem falta no momento do troco, segundo a pesquisa.

Conservação
De acordo com o levantamento do Banco Central, a população brasileira também considera "importante" que as cédulas não estejam rasgadas (82%).

A pesquisa também indica, segundo a autoridade monetária, que a maioria da população guarda o dinheiro em "local adequado". A carteira é usada para guardar o dinheiro por 61% dos entrevistados. Outras formas declaradas de guardar as cédulas são no bolso (24%), soltas na bolsa (9%) em compartimentos dentro da bolsa (7%), em carteirinhas dentro da bolsa (7%) ou em porta níqueis (3%).

Em relação às moedas, ainda segundo a pesquisa encomendada pelo BC, 33% dos entrevistados disseram guardar as moedinhas no bolso. Outros 22% na carteira e 30% em porta níqueis.
 

Leia Também