segunda, 16 de julho de 2018

FORÇA-TAREFA

Força-tarefa faz varredura no Complexo do Alemão

30 NOV 2010Por RIO04h:30

Apesar do clima de aparente tranquilidade, a polícia ainda realizou ontem cuidadosa operação de varredura nas casas dos moradores do Complexo do Alemão, na Penha, zona norte do Rio de Janeiro. O comandante-geral da PM (Polícia Militar), coronel Mário Sérgio Duarte, afirmou que, mesmo após a tomada do território, as buscas aos traficantes no Alemão devem durar mais alguns dias, talvez meses.

Alguns blindados faziam rondas nas principais avenidas do Complexo. O número de policiais militares, no entanto, foi reduzido drasticamente, apesar de 90 homens do Bope terem passado a noite dentro do Alemão – efetivo que foi substituído na manhã de ontem.

Homens da Polícia Civil e do Exército foram vistos na manhã de ontem fazendo revistas em alguns pontos. A estratégia é tentar encontrar traficantes que possam estar tentando sair da comunidade disfarçados. O dia também foi de patrulhamento na Vila Cruzeiro, de onde os bandidos fugiram para o Complexo do Alemão.

O relações públicas do Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais), capitão Ivan Blaz, afirmou que ainda há regiões onde os bandidos estão oferecendo resistência e há troca de tiros. Ele disse que participou de diversas buscas durante a manhã de ontem.

Após receber denúncias de moradores, a polícia localizou, na manhã de ontem, uma casa no Complexo do Alemão (zona norte do Rio) em cujo porão havia armas. Segundo a polícia, foram apreendidos cinco fuzis, um rifle, duas granadas, munição, carregadores de armas e um colete camuflado. Como o porão é muito estreito, cachorros foram utilizados para farejar o local e descobrir se havia mais material.

Também ontem, a Polícia Civil encontrou a caminhonete usada pelos traficantes para fugir da Vila Cruzeiro, na Penha, para o Complexo do Alemão, zona norte do Rio de Janeiro, na última quinta-feira. O comandante-geral da Polícia Militar (PM), coronel Mário Sérgio Duarte, afirmou que, mesmo após a tomada do território, as buscas aos traficantes devem durar mais alguns dias, talvez meses.

Leia Também