Segunda, 19 de Fevereiro de 2018

Fora do time, Jobson tumultua ambiente no Botafogo

8 OUT 2010Por 02h:48

Rio de Janeiro, RJ

Sem jogar desde o empate por 1 a 1 com o Atlético-PR, no dia 26 de setembro, o atacante Jobson ficou de fora dos empates por 1 a 1 com Corinthians, Flamengo e Guarani. O motivo alegado pela comissão técnica do Botafogo sempre foi um incômodo na coxa esquerda. O jogador, que viajou para Campinas (SP) acompanhando a delegação que encarou o Bugre, quebrou o silêncio na manhã de ontem, no retorno à capital carioca. Alegando estar em boas condições físicas, Jobson acabou tumultuando o já conturbado ambiente do Glorioso.
“Estou bem e quero jogar. Tem que perguntar para o Joel e para a diretoria”, disse o atacante ao ser perguntado pela sua ausência no time e diante dos jornalistas que faziam a cobertura do desembarque botafoguense.
A resposta de Jobson, porém, veio com um certo atraso. Pois logo depois do empate com o Guarani, o gerente do departamento de futebol do Botafogo, Anderson Barros, revelou que a ausência do jogador tinha a ver com problemas comportamentais. O fato de o atacante não estar sendo escalado causou em alguns órgãos de imprensa a desconfiança sobre um novo problema com drogas.
“É um erro asssociar a ausência do Jobson a problemas com drogas ou ao fato de ele ter se submetido ao exame antidoping contra o Atlético Paranaense. Ultimamente ele não vem tendo o comportamento compatível com o de um atleta profissional. Estamos dando o suporte necessário ao jogador. Ele é jovem e comete os erros dele, principalmente nos dias de folga. Precisamos consertar esses deslizes, para que eles não se tornem coisas maiores”, disse Anderson Barros.

Leia Também