Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

COM RODÍZIO

Fluminense bate Bangu e quebra tabu de nove meses

Fluminense bate Bangu e quebra tabu de nove meses
01/02/2014 18:13 - Terra


Em jogo que marcou o rodízio de titulares iniciado pelo técnico Renato Gaúcho, o Fluminense bateu o Bangu pelo placar mínimo de 1 a 0 e igualou o Flamengo na liderança do Campeonato Carioca. O duelo foi realizado na tarde deste sábado, em Moça Bonita, e foi válido pela quinta rodada da Taça Guanabara. O time das Laranjeiras também quebrou um tabu de nove meses sem conseguir três vitórias seguidas.

No lance do gol tricolor, ocorrido ainda aos 27min do primeiro tempo, Jean cruzou na segunda trave, e Michel completou para o fundo da rede, matando o goleiro do Bangu no lance e deixando a equipe visitante à frente do placar. O time da casa não teve forçar para reagir e só viu o rival manter o domínio de bola.

O resultado deste domingo levou o Fluminense aos 10 pontos, agora igualado ao Flamengo, que possui um jogo a menos na competição. O time rubro-negro entra em campo neste domingo, contra o Macaé, e pode mais uma vez disparar na liderança da Taça Guanabara do Campeonato Carioca.

Já o Bangu estacionou nos cinco pontos e foi ultrapassado pelo Madureira, que bateu o Audax por 1 a 0 neste sábado e foi aos seis pontos. O time alvirrubro, agora, está na 10ª colocação e ainda próximo da zona de rebaixamento do Estadual.

O jogo entre Bangu e Fluminense marcou também o início do rodízio de titulares proposto pelo técnico Renato Gaucho. Fred e Valencia, por exemplo, foram poupados do duelo deste sábado. O revezamento deve ocorrer ao longo das próximas rodadas do Campeonato Carioca.

O Fluminense volta a campo pelo Campeonato Carioca contra o Audax na terça-feira, às 19h30, no Estádio Raulino de Oliveira. O Bangu, por sua vez, encara o Cabofriense na quarta, às 19h30, no Cláudio Moacyr de Azevedo.

Felpuda


Ao que tudo indica, partido teria criado “racha” apenas visando jogar para a plateia, e, assim, quem estava com a corda toda anunciou que se prepara para o desembarque. Nos bastidores o que se ouve é que o tal fundo partidário seria o motivo da desavença e que quem nunca comeu mel quando come se lambuza. Só que não. A estratégia é continuar “dono” da atual legenda e “tomar a frente” de partido que está em fase embrionária. Tudo inspirado na “velha política”.