Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ESPORTES

Flamengo joga no Chile para manter bom aproveitamento

Flamengo joga no Chile para manter bom aproveitamento
17/03/2010 07:36 -


O Flamengo volta a campo pela Copa Libertadores hoje, às 20h50min (MS), para medir forças com a Universidad de Chile, no Estádio Monumental, em Santiago, capital chilena, pela terceira rodada do grupo 8. O Rubro-Negro vive um grande momento na competição, liderando com seis pontos e cem por cento de aproveitamento. Um triunfo deixará os brasileiros com uma das mãos na vaga para as oitavas de final. O jogo, porém, requer cautela, uma vez que a Universidad de Chile está na segunda colocação, com quatro pontos, e vai assumir a ponta em caso de triunfo. Além do adversário em campo, os jogadores do Flamengo ainda têm mais um motivo para se preocupar. Todos estão temerosos com a presença na capital chilena, que sofreu centenas de abalos desde o terremoto de 27 de fevereiro, que castigou o país. A delegação flamenguista chegará à cidade poucas horas antes do confronto, já que permanece até hoje em Porto Alegre (RS). Para este jogo o time carioca terá apenas uma alteração em relação ao time que derrotou o Vasco por 1 a 0, no domingo, garantindo a liderança do grupo A da Taça Rio, segundo turno do Campeonato Carioca. O volante Toró, expulso na vitória por 3 a 1 sobre o Caracas, na quarta- feira passada, cede espaço para Rodrigo Alvim. Pelo lado da Universidad de Chile, o técnico Gerardo Pelusso não poderá contar com o volante Iturra, vetado por conta de uma lesão no joelho direito. Eduardo Vargas será o substituto. O atacante Edson Puch, recuperado de lesão na coxa esquerda, foi liberado e vai atuar.

Felpuda


Paixão política que extrapola o bom senso, chega nas redes sociais e se transforma em baixaria pode resultar em prejuízo no bolso. Isso foi o que aconteceu com autor de texto nada elogioso contra colega por diferenças em apoio a candidatos nas eleições de 2016. O dito-cujo foi condenado a pagar indenização de R$ 7 mil, com correção monetária e juros mensais a partir da publicação da sentença, além dos honorários advocatícios. Detalhe: os adversários daquela época hoje andam de braços dados. Pode?