Campo Grande - MS, sexta, 17 de agosto de 2018

taça rio

Flamengo bate Fluminense nos pênaltis e vai à final

24 ABR 2011Por terra17h:53

O Flamengo é o finalista da Taça Rio. No início da noite deste domingo de Páscoa, depois de um empate por 1 a 1 no tempo normal, o time comandado por Wanderley Luxemburgo superou a ausência de Ronaldinho, vetado pelo departamento médico do clube minutos antes do jogo, e assegurou a classificação à decisão do segundo turno do Campeonato Carioca ao derrotar o Fluminense por 5 a 4 na disputa por pênaltis.

Vencedor na disputa por pênaltis neste domingo, muito em parte graças ao goleiro Felipe, que defendeu duas cobranças (Souza, do Flu, isolou para fora sua oportunidade), o Flamengo encarará na decisão da Taça Rio o Vasco, que se classificou ao derrotar o Olaria por 1 a 0, no último sábado. Caso triunfe diante do rival, a agremiação conquistará o Estadual de forma antecipada.

A vitória épica da última quarta-feira sobre o Argentinos Juniors embalou o Fluminense no clássico deste domingo. Com a mesma formação do confronto em Buenos Aires, a equipe de Enderson Moreira se mostrou mais organizada do que o tradicional adversário, que dependia da empolgação e de jogadas individuais para ameaçar a meta defendida por Ricardo Berna.

Dessa forma, o gol de Rafael Moura aos 41min da primeira etapa apenas comprovou a melhor fase do Fluminense, que manteve o bom rendimento no tempo complementar e criou as melhores oportunidades. Abatido e sem Ronaldinho, o Flamengo dependeu muito de Thiago Neves. Talentoso, o meia empatou o confronto aos 22min e marcou pela primeira vez contra o ex-clube, no qual foi vice-campeão da Libertadores no ano de 2008.

Depois do clássico deste final de semana, o Fluminense volta as suas atenções para a Copa Libertadores. Classificado de forma heroica para a fase de mata-mata da competição, o time das Laranjeiras recebe na próxima quinta-feira, às 21h50 (de Brasília), no Engenhão, o Libertad, do Paraguai, em confronto pelas oitavas de final do torneio.

O jogo

Minutos antes de o clássico carioca começar, o torcedor flamenguista recebeu uma péssima notícia vindo do departamento médico. O astro Ronaldinho, contestado no empate por 1 a 1 da última quinta-feira contra o Horizonte, pela Copa do Brasil, acabou vetado para o compromisso deste domingo. A mudança de última hora obrigou Wanderley Luxemburgo a deslocar Renato Abreu para o meio-campo, abrindo uma lacuna na lateral esquerda para a entrada de Rodrigo Alvim.

A alteração foi sentida pelo time flamenguista nos primeiros minutos de partida. Embalado pela classificação às oitavas de final da Copa Libertadores na última quarta-feira, depois de uma épica vitória por 4 a 2 sobre o Argentinos Juniors, em Buenos Aires, o Fluminense entrou em campo mais organizado e pressionou a defesa adversária.

Em desvantagem dentro de campo, o Flamengo dependia da individualidade de alguns jogadores para ameaçar o goleiro Ricardo Berna, como aos 3min, quando Léo Moura arriscou de longe e assustou o time tricolor. Contudo, o lapso de perigo flamenguista não intimidou o Fluminense, que respondeu logo em seguida com Fred. Dentro da área, o centroavante ganhou de cabeça da defesa rival, mas não conseguiu direcionar a bola na direção do gol.

Depois de dois sustos, a partida esquentou, de fato, aos 7min, quando Rafael Moura recebeu lindo passe e caiu na entrada da área após saída de Felipe. Apesar das reclamações intensas de pênalti por parte do clube das Laranjeiras, o árbitro Péricles Bassol não marcou pênalti e ainda deu o cartão amarelo para o atacante, no último lance antes de a forte chuva, literalmente, parar o duelo.

A tempestade danificou os refletores do estádio, os quais se apagaram e obrigaram a primeira paralisação do confronto. Primeira, porque pouco mais de 10min de interrupção, Ricardo Berna e Felipe reclamaram da falta de visibilidade do jogo e o árbitro parou novamente o encontro. Lá se foram mais 5min, antes de o Fla-Flu, de fato, se reiniciado.

O recomeço da partida mostrou o mesmo cenário encontrado no início do duelo: o Fluminense organizado, dominando o meio-campo e controlando o ritmo de jogo; e o Flamengo apostando apenas nas jogadas individuais para ameaçar a meta de Ricardo Berna. Pìor para o rubro-negro, que sequer podia contar com Léo Moura, substituído antes da interrupção por conta de uma lesão.

A melhor apresentação do Fluminense resultou na abertura do placar por parte do time das Laranjeiras. Aos 21min, Marquinho levantou a bola para a área na direção de Gum, que apenas ajeitou para Rafael Moura. Em posição duvidosa, o centroavante mostrou oportunismo e tocou de cabeça para fazer 1 a 0.

Em vantagem no duelo, o Fluminense seguiu mais organizado e controlando a partida, criando boas oportunidades para ampliar o marcador no Engenhão. Com 29min, Fred recebeu boa bola e, transportando para o gramado uma típica jogada de futsal, girou como pivô e bateu firme para ótima defesa de Felipe. A oportunidade marcou a mudança de postura do time de Enderson Moreira na etapa inicial.

Ponderado em campo, o Fluminense, enfim, foi ameaçado aos 35min. Principal homem de referência do ataque flamenguista, Diego Maurício fez boa jogada e obrigou Ricardo Berna a fazer uma ótima defesa. No rebote, Edinho, bem atento, afastou o perigo pela linha de fundo, na última grande oportunidade do clássico durante a primeira etapa de jogo.

No segundo tempo, o Fluminense seguiu melhor e abusou de perder oportunidades de gol. Logo aos 2min, Fred soltou a bomba em cobrança de falta e exigiu uma ótima intervenção de Felipe, que trabalharia ainda muito até o final do encontro deste domingo no Engenhão.

Aos 11min, novamente Felipe e Fred duelaram. Na pequena área, o atacante chutou e viu o goleiro flamenguista evitar o segundo gol com grande reflexo. O intenso domínio do Fluminense se manteve até a parada técnica, que transformou o clássico desta semifinal de Taça Rio.

Quando o cronômetro marcava 22min, Willians levantou a bola para a área e encontrou Thiago Neves. Com ótima noção de posicionamento, o meia-atacante flamenguista tocou de cabeça, com categoria, e encobriu o goleiro Ricardo Berna, que não conseguiu evitar o empate em uma jogada esporádica do time de Wanderley Luxemburgo.

O tento anotado por Thiago Neves abriu ainda mais o duelo no Engenhão. Em busca da vitória, o Fluminense aumentou a intensidade ofensiva e teve uma enorme oportunidade para assumir a liderança do marcador aos 36min. O meia Marquinho recebeu ótimo passe e saiu à frente de Felipe. Na hora da finalização, o jogador pecou na tranquilidade e isolou para fora.

Até o final do jogo, o Fluminense manteve a bola e buscou a pressão até o final. Entretanto, bem postado defensivamente, o time rubro-negro segurou o adversário e forçou a realização da disputa por pênaltis.

Leia Também