Campo Grande - MS, quinta, 16 de agosto de 2018

CRIME

Fiscais do Ibama são presos acusados de corrupção passiva

26 MAI 2011Por Thiago Gomes15h:02

Dois fiscais do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis)  foram presos em flagrante, pela Polícia Federal, hoje (26) pela manhã, em Campo Grande, quando recebiam suposta propina do proprietário de uma madeireira. A prisão aconteceu na Avenida Afonso Pena, esquina com a Rua 13 de Maio. O flagrante se deu no momento em que um dos servidores pegavam R$ 5 mil do empresário.

Segundo informações da Polícia Federal, na terça-feira os dois fiscais do Ibama procederam fiscalização em uma madeireira, e, ao final da vistoria, apontaram a existência de irregularidades que implicariam pesadas multas, exigindo então R$ 50 mil do proprietário do estabelecimento para não procederem a autuação.

Em meio à negociação, o comerciante afirmou que seria muito dinheiro e que necessitaria de um prazo para conseguir o valor solicitado. Inconformado com a exigência e acreditando que a empresa não se encontrava com nenhuma irregularidade, o empresário apresentou-se na sede do Ibama e formulou denúncia contra os dois servidores.

No horário combinado, o empresário entregou o envelope contendo R$ 5 mil a um dos fiscais, momento em que os agentes federais efetuaram a prisão do servidor Ibama. Preso, o servidor afirmou que o seu colega, com quem dividiria o dinheiro, estaria próximo do local.

O preso então ligou para o colega, que compareceu ao local, e também preso em flagrante pela prática do crime de corrupção passiva. Todas as cédulas de R$ 100 apreendidas tiveram o número de série anteriormente registrados pela Polícia Federal.

A pena prevista para o crime de corrupção passiva é de dois a 12 anos de reclusão e multa. Os presos foram recolhidos ao setor de custódia da PF, ficando à disposição da Justiça Federal.

Leia Também