POLÊMICO

Fim do fator previdenciário pouco ajuda quem quer se aposentar

Fim do fator previdenciário pouco ajuda quem quer se aposentar
09/07/2012 00:02 - Vinicius Squinelo


Proposta que ganhou “musculatura” no Congresso, o fim do fator previdenciário gera polêmica entre parlamentares, porém, caso aprovada, pouco deve mudar para o verdadeiro interessado: o brasileiro que quer se aposentar.

Esta é a opinião do advogado Onor Santiago da Silveira Júnior, presidente da Comissão de Direito Previdenciário da Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional de Mato Grosso do Sul (OAB/MS).

Criado em 1991, e regulamentado em 99, o fator previdenciário aplica um cálculo do valor da aposentadoria por tempo de serviço, levando em conta diversos fatores, desde à expectativa de vida do brasileiro até a “sobrevida” do assegurado. Sempre contestado, o fator pode estar chegando perto do fim, ameaçado de perder o posto para a já apelidada “fórmula 85/95”, proposta com maior apoio dentro do Congresso.

“Por essa proposta, para conseguir a aposentadoria, a soma da idade da pessoa e o tempo de contribuição ao INSS deve atingir 85 anos para as mulheres, e 95 para os homens”, explicou Santiago. “Na prática, um homem, por exemplo, tem que ter 60 anos de idade e 35 para se aposentar”, frisa o advogado.

Leia mais no jornal Correio do Estado

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".