Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, terça, 11 de dezembro de 2018

OPERAÇÃO TAMARINDO

Filhos de traficante são presos na fronteira

5 JUL 2010Por 06h:57
Michelle Rossi

Agentes da Polícia Federal e da Força Nacional do Paraguai cumpriram ontem, na cidade de Aral Moreira (MS), mandados de busca e apreensão em cinco propriedades do traficante brasileiro preso no sábado, Irineu Domingos Soligo, vulgo Pingo. A operação também resultou na prisão de dois filhos do criminoso - o Lico, 27 anos, e Pitu, 20 - além do cunhado, 42, e o filho dele, de 19 anos. Nenhum dos presos teve o nome divulgado, mas todos eles foram encaminhados à Polícia Federal, em Ponta Porã (MS), para onde também foram levados os materiais apreendidos durante as buscas: armas, munições, drogas e carros. Pingo continua detido no Presídio de Segurança Máxima, em Assunção, no Paraguai, e deve ser extraditado para o Brasil (veja boxe).

As prisões feitas no domingo são desdobramentos da Operação Tamarindo – comandada pelas Polícia Federal do Brasil, dos Estados Unidos e também Secretaria Nacional Antidrogas do Paraguai, deflagrada na madrugada de sábado, com a prisão de Pingo. Os filhos, mais cunhado e sobrinho, são investigados por ligação com tráfico de drogas, mas desta vez foram presos em flagrante por motivos diferentes.

Lico, o filho mais velho, foi pego com munições importadas de armas calibre 38 e 22. Ele já respondeu por tráfico de drogas em território paraguaio. Pitu, o mais novo, foi flagrado com documento falso – apresentava-se como paraguaio, quando na verdade tem apenas nacionalidade brasileira. Ele já respondeu pelo crime de homicídio no Brasil. Cunhado e sobrinho foram autuados pela polícia com um carro Fiesta, recheado de maconha, mais precisamente 48 quilos e 100 gramas. Além das apreensões citadas, ainda foram encaminhada à delegacia, uma arma de calibre 12, mais munições e uma pick up de placa fria.
Foram empenhados nas prisões 38 agentes da Polícia Federal e Força Nacional e dentre as cinco propriedades citadas nas buscas, estavam três fazendas e duas casas de Pingo.
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também