Quarta, 13 de Dezembro de 2017

RIO DE JANEIRO

Filho de Eduardo Coutinho é preso pelo assassinato do pai

2 FEV 2014Por g118h:01

O filho do cineasta Eduardo Coutinho, de 80 anos, morto a facadas neste domingo (2) em sua casa, na Lagoa, zona sul do Rio, está preso, segundo a Polícia Civil. Daniel Coutinho, 41 anos, é o principal suspeito do crime e está internado no Hospital Miguel Couto, sob custódia. A mulher do cineasta, Maria das Dores Coutinho, 62 anos, também foi esfaqueada e está hospitalizada em estado grave. A Divisão de Homicídios da Polícia Civil investiga o caso.

Daniel, que supostamente sofre de problemas mentais, passou por cirurgia e está internado na unidade intermediária do hospital, segundo a Secretaria Municipal de Saúde. Ele levou duas facadas no abdômen e tem quadro estável. De acordo com policiais do batalhão do Leblon, que foram ao apartamento do cineasta, na Rua Lineu de Paula Machado, moradores disseram que o filho surtou, esfaqueou os pais e depois tentou o suicídio.

A mãe dele levou dois golpes de faca nos seios, três no abdômen e teve ainda uma lesão no fígado. Ela também já passou por cirurgia e seu estado de saúde é grave, segundo a Secretaria Municipal de Saúde. O corpo do cineasta foi levado para o Instituto Médico Legal (IML).

O Corpo de Bombeiros informou que a chamada para a ocorrência no apartamento de Coutinho foi feita às 11h48. Homens do quartel do Humaitá constataram que o cineasta já estava morto ao chegar no local, e levaram os outros dois feridos para o Miguel Couto.

Um dos primeiros a se manifestar sobre a morte do diretor foi o também cineasta Cacá Diegues. “Ele era muito respeitado, era um mestre, os jovens cineastas do Brasil respeitavam muito ele. Coutinho era uma pessoa acima do bem e do ma”, declarou.

O também diretor de cinema Jorge Furtado ficou chocado com a notícia. "A morte do Coutinho é uma tragédia do cinema brasileiro, ele é um dos maiores documentaristas do mundo, um grande pensador do cinema."

Carreira

Considerado um dos maiores documentaristas do Brasil, o paulistano Coutinho é ganhador do Kikito de Cristal, principal premiação do cinema nacional, pelo conjunto da obra. Entre seus principais filmes estão "Edifício Master", "Jogo de cena", "Babilônia 2000" e "Cabra Marcado para Morrer".

Em junho do ano passado, ele e o também cineasta José Padilha (autor dos filmes "Tropa de Elite 1 e 2") foram convidados a integrar a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, responsável pela premiação do Oscar.

Leia Também