Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

SENADO

Figueiró lamenta morte do ex-senador João Faustino

Figueiró lamenta morte do ex-senador João Faustino
04/02/2014 00:00 - AGÊNCIA SENADO


No primeiro discurso do ano no Senado ontem (03), o senador Ruben Figueiró (PSDB-MS), pediu voto de pesar pela morte do ex-deputado e ex-senador João Faustino (PSDB-RN), ocorrida em janeiro, em decorrência de complicações cardíacas decorrentes de leucemia.

Figueiró lembrou que o político potiguar era graduado em pedagogia e atuou secretário de Educação de Natal e do Rio Grande do Norte. Ocupou também o cargo de secretário de Assuntos Federativos, no governo de Fernando Henrique Cardoso.

Ruben Figueiró lembrou ainda que João Faustino Ribeiro foi deputado federal, época em que se conheceram, em 1979. E que o colega chegou a assumir por duas vezes o mandato de senador, como suplente.

- O nosso João Faustino, um homem bom, reconhecido indistintamente pelo povo de sua terra como 'João do Coração', foi um lutador incansável pela educação e pelo desenvolvimento regional. Era um municipalista, tinha uma visão acurada da realidade brasileira, tinha um atinado senso político, era um intelectual na verdadeira acepção da palavra - declarou.

Em aparte, o senador João Agripino (DEM-RN) lembrou que João Faustino era seu primeiro suplente e teve uma atuação política que orgulhava o povo potiguar. Já o senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP) disse que a lembrança de Faustino permanecerá viva entre todos que acreditam na política como caminho para construção da justiça e da liberdade.

Felpuda


O desgaste de antigas lideranças nacionais, com reflexo em nível local, é a maior preocupação dos dirigentes de partidos para as eleições deste ano, que terá reflexo em 2022. Em épocas passadas, essas figurinhas cruzavam os céus do País para visitarem os municípios e pedirem que a população votasse em seus ungidos. Agora, com pendências judiciais e poder enfraquecido, dificilmente seriam convidadas. A pandemia, que resultou no isolamento social, foi a pá de cal.