segunda, 16 de julho de 2018

COPA

Fifa não vai dar dinheiro confirma Itaquera para a abertura da Copa 2014

30 OUT 2010Por ESTADÃO11h:20

A Fifa avisa: não vai dar um centavo para a construção do estádio em Itaquera, a principal aposta da CBF para abrir a Copa de 2014. A negativa da entidade máxima do futebol reforça a pressão para que o dinheiro para ampliar o projeto inicial acabe saindo dos cofres públicos. No fim de novembro, o presidente da Fifa, Joseph Blatter, visitará o Brasil e quer se reunir com o governador eleito, Geraldo Alckmin, e o novo presidente brasileiro.

A entidade máxima do futebol e Ricardo Teixeira fecharam um compromisso nesta semana de que a abertura da Copa será mesmo na capital paulista. Mas uma definição da arena ficará para depois das eleições e dependerá da visita de Blatter, que pressionará por gastos públicos.

A Fifa aceitou dar um voto de confiança e manter São Paulo como local de abertura. Mas sua condição é de que não cabe a ela financiar as obras do estádio, algo que a presidência do Corinthians já havia apontado como uma das possibilidades para permitir que a arena cumpra as exigências da Copa.

Também avisou: o projeto original, de 48 mil lugares, não é suficiente. Se Itaquera não encontrar recursos para ser ampliado, uma nova obra terá de ser feita. E essa já é a terceira opção considerada. A primeira foi o Morumbi. Depois, Pirituba. Agora, a arena de Itaquera é a preferida. Mas se nada disso for possível, outra construção teria de ser pensada.

"O estádio do Corinthians está projetado para ter pouco mais de 40 mil lugares. Não se pode ter uma abertura da Copa no estádio do Corinthians com essa capacidade. Mas o compromisso é de que terão de aumentar o local para que possa incluir 65 mil. Caso contrário, outro lugar terá de ser construído do zero", explicou Rafael Salguero, um dos integrantes do Comitê Executivo da Fifa.

Salguero confirmou que, ontem, Teixeira, Jérome Valcke, secretário-geral da Fifa, Julio Grondona, integrante da entidade e presidente da Associação de Futebol da Argentina, e ele se reuniram para tratar da preparação do Brasil para o Mundial. "Ficou fechado que a abertura será mesmo em São Paulo. Mas cabe ao Brasil agora encontrar uma solução para o estádio."

A ideia do presidente do Corinthians, Andres Sanchez, é de que a diferença entre o projeto inicial e o que a Fifa exige será bancada pela entidade internacional. A cúpula da organização rejeitou essa opção. "O dinheiro para as obras não virá de nós. Cabe ao país organizador colocar e encontrar esse dinheiro para a estrutura. A Fifa não tem dinheiro para sair pelo mundo construindo estádios", afirmou ao Estado o vice-presidente da Fifa Julio Grondona.

Michel D"Hooghe, membro do Comitê Executivo há 22 anos, declarou, no entanto, que ainda há algumas "incertezas" sobre o Brasil. "Não sabemos mesmo ainda como vai ficar a questão desse estádio (do Corinthians)."

Dinheiro Público. Jérome Valcke confirmou que a decisão da participação de São Paulo no Mundial será em novembro, durante sua visita e de Blatter ao País. Na entidade, a esperança é de que o dinheiro venha mesmo dos cofres públicos, algo que tanto o governo estadual como a Prefeitura se recusam a dar por enquanto. Por isso, a Fifa está tratando a visita de Blatter como vital para a definição da abertura da Copa. Valcke já havia dito que a Fifa esperaria a definição das eleições no Brasil para tomar as decisões finais.

Leia Também