POLÍTICA

Festival premia vencedores da 7ª edição

Festival premia vencedores da 7ª edição
02/02/2010 21:24 - MICHELLE ROSSI


“Hotel Atlântico”, de Suzana Amaral; “Perdão Mister Fiel”, de Jorge Oliveira e “Para pedir perdão”, de Iberê Carvalho, foram os grandes vencedores do 7º Festival de Cinema de Campo Grande – FestCine Pantanal. A linguagem ousada de Suzana Amaral conquistou o júri oficial, enquanto o documentário de Jorge Oliveira levou o prêmio na categoria voto popular – ambos longas-metragens. Iberê Carvalho teve seu curta-metragem consagrado por ambos os júris. Além do troféu, cada longa recebeu prêmio em dinheiro no valor de R$ 10 mil cada. O curta acumulou também R$ 10 mil – uma vez que a premiação era de R$ 5 para júri oficial e mais R$ 5 para voto popular. Os vencedores do Troféu Glauce Rocha foram revelados na noite do último sábado, na sala do CineCultura, que sediou grande parte das sessões do festival. O documentário “Perdão Mister Fiel” ainda recebeu meção honrosa do júri oficial por sua importância ao discutir o Brasil político. Durante a cerimônia, também foram entregues o Troféu Glauce Rocha para Nilson Rodrigues, idealizador do Festival de Cinema de Campo Grande, e para o professor Hermano de Mello, eleito representante do público que compareceu ao festival. Depois da entrega ainda houve sessão extra de “Alma do Brasil” (1931), de Líbero Luxardo e, para recepcionar o público depois das atividades, música com Guga Borba na tenda do lado externo do cinema. Os três diretores premiados estiveram em Campo Grande para participação no Festival de Cinema. Todos assistiram às sessões e puderam discutir com o público suas produções. “O prêmio conquistado aí em Campo Grande mostra que o público tem interesse em saber da história que muitas vezes é esquecida pelo Brasil”, disse Jorge Oliveira, que estava em Brasília no momento do anúncio do prêmio e concedeu entrevista por telefone. “É um prêmio que nos orgulha muito. Foi ótimo ter participado do festival em Campo Grande, pois tivemos a oportunidade de discutir o filme, a ditadura militar”, lembra. Na obra, o assassinato do operário comunista Manoel Fiel Filho nas dependências do DOI-CODI é pano de fundo para as discussões sobre os tempos agressivos de regime militar no Brasil. Suzana Amaral “Hotel Atlântico” é um filme baseado no livro de João Gilberto Noll, no qual um ator desempregado parte numa viagem sem destino. “É uma metáfora da vida, pois não temos um roteiro pronto das coisas”, dizia Suzana durante a estreia do seu filme no festival. A cineasta, inclusive, foi a grande homenageada deste FestCine e teve seu filme “A hora da estrela” (1986), um clássico do cinema brasileiro, exibido no dia da abertura do evento. O brasiliense Iberê Carvalho, que havia ganho o Festival de Cinema de Cuba em dezembro de 2009, com seu “Para pedir perdão”, disse estar “bastante satisfeito com as duas premiações”, pois conseguiu atingir popularidade entre o público e também foi consagrado pelos jurados. “Estou muito feliz com a dobradinha aí em Campo Grande. Já havia ganho prêmios com o filme, mas não nas duas categorias num único festival”, observou, também em entrevista por telefone, de Brasília. No curta, depois de um acidente de carro, o protagonista começa uma busca pela namorada. O voto popular foi dado após a exibição dos concorrentes na sala do CineCultura. Do júri oficial participaram Oscar Rocha, jornalista e crítico de cinema; Edson Audi, cineasta; Ciro de Oliveira, jornalista; Henrique Medeiros, publicitário e Bruna Meldau, atriz.
smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".