Campo Grande - MS, sábado, 18 de agosto de 2018

Corumbá

Festival América do Sul lança programação da 8ª edição

13 ABR 2011Por FCMS17h:29

O governo do Estado de Mato Grosso do Sul, por meio de suas fundações de Cultura (FCMS) e Turismo (Fundtur), e curadoria compartilhada do Memorial da América Latina, promove, em Corumbá, de 27 de abril à 1º de maio, a 8ª edição do Festival América do Sul (FAS).

A 8ª edição do FAS está revestida de uma maior participação internacional dos nove países da américa latina que vão participar: Argentina, Paraguai, Uruguai, Venezuela, Peru, Bolivia, Equador, Colombia e Chile.

As novidades não ficam apenas na maior participação dos países envolvidos. Neste ano o FAS vai incorporar às suas atividades o I Festival Gastronômico Sabores das Américas, que será realizado no Centro de Convenções do Pantanal com aulas-show com degustações e renomados chef’s de cozinha do Brasil e do exterior.

O audiovisual também terá uma participação especial do exterior. A TV América Latina (TAL) vai apresentar a mostra de documentários da série Los Latino Americanos da TAL – Televisão América Latina. Uma série com quatro documentários: Los Argentinos, Los Bolivianos, Los Peruanos e Los Paraguaios, que tratam dos vários aspectos do subcontinente latino-americano produzidos por diferentes países da região.

Serão homenageados nesta edição do FAS o músico Benites; a gestora do Moinho Cultural Marcia Rolon; o historiador Valmir Corrêa; a cantora argentina Amelita Baltar e o ator nacional Elias Andreato.


Atrações Internacionais


Abrindo as portas para a internacionalização do festival, o grupo Los Kjarkas, uma banda tradicional de música andina boliviana, que está na ativa desde a década de 60, e é considerada a mais conhecida banda do gênero em todo o mundo, se apresentará na noite de estreia do Palco das Américas com seu repertório andino. O destaque é a musica llorando se Fue - Chorando se foi traduzida para diversos idiomas e alcançou um enorme sucesso internacional.

Ainda na música, os paraguaios Hermanos Corbalan, dos irmãos e músicos Sixto e Juan Jorge Corbalán, prometem trazer o melhor da música instrumental paraguaia ao Festival. Consagrados harpistas, compositores e arranjadores, os Hermanos Corbalán já foram premiados em todo o mundo, tanto pelos seus trabalhos solos, como em dupla.

O argentino Pedro Aznar também se apresenta no Palco da Américas. Um dos maiores expoentes da música latina contemporânea. Em 1978, formou com Charly García, David Lebón e Oscar Moro, o grupo Serú Girán, considerado pelo público e crítica como um verdadeiro mito na história musical argentina, influenciando várias gerações até os dias de hoje. Com o Pat Metheny Group, do qual foi multiinstrumentista e vocalista, ganhou três Grammys e fez turnês por todo o mundo. Hoje, se apresenta com banda própria, com a singularidade que ampla experiência nos estilos Rock, Jazz e música popular de raiz argentina permite.

Amelita Baltar, uma das homenageadas do Festival apresenta o Tangamente, com o Ballet Stagium. Toda a obra de Piazzolla vai por caminhos característicos : é clássico como um Preludio de Beethoven ou uma Fuga de Bach, no sentido de que sua qualidade transcende o tempo e será apreciada em todas as épocas. O Ballet Stagium faz ainda um ensaio aberto ao público no Porto Geral.

Soledad Villamil é uma talentosa e reconhecida artista argentina, que transita pelo cinema, teatro, televisão e música. Protagonista do filme O segredo de Seus Olhos, ganhador do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro em 2010, Soledad traz a Corumbá seu show musical. Acompanhada de banda, se apresenta com diferentes ritmos e climas musicais, onde a emoção é o foco do espetáculo.

Teatro

Argentina - Abanico de Soltera – textos desahojados para una Rosa granadina: Abanico de Soltera é uma homenagem ao universo de Federico García Lorca. No espetáculo uma mulher é jogada no universo do autor de Granada, suas palavras se fundem com a dança e ela joga com o amor infeliz. Com os objetos que invadem a cena, desafia a morte. Nessa mulher vivem os personagens de Lorca, que recitam suas últimas e solitárias horas. A música tece lembranças como retalhos gastos de memória misturados com poesia.

Uruguai - Ninfas Del Lunfardo – Teatro, Tango y Poesia. O espetáculo leva pra cena teatro, tango e poesia lunfarda (gíria originada e desenvolvida em Buenos Aires, principalmente entre as classes baixas, mas que ganhou popularidade em todos os extratos por meio de letras de tango). O trabalho retrata personagens representativos deste gênero, verdadeiros arquétipos que encarnam uma psicologia e filosofia de vida que mantém absoluta vigência no mundo em que vivemos.

Bolívia - “Septiembre” é uma peça sobre duas pessoas que aprenderam e descobriram o amor de uma forma diferente. Louca para alguns, ilusão para outros, mas verdadeira para os protagonistas Gael e Lucia. Eles, por circunstâncias da vida, se conheceram e se relacionam de uma maneira diferente da usual. O amor deles se desenvolveu à distância por meio do telefone e da internet. Com essa distância o sentimento cresce, amadurece e eles chegam a sonhar com uma vida juntos. Planejam muitos encontros, mas a vida os frustra de uma forma ou de outra. O mundo deles está cheio de ilusões, de sonhos e desejos ante a necessidade de preencher o vazio que a ausência física provoca neles. O espetáculo, antes de tudo, é uma história de amor.

Paraguai - José Gaspar (La Soledad del Poder). O espetáculo é um apelo apaixonado que defende com fortes argumentos o ditador perpétuo do Paraguai, José Gaspar Rodríguez de Francia (1756-1840), justificando suas ações e apelando para a ingrata solidão de um poder como o dele. “José Gaspar” revela um pouco da história do Paraguai e mostra a transformação de um povo trabalhador que foi vítima da crueldade sob o jugo de uma ditadura sem precedentes. Ator e personagem são um só em cena. Jorge Ramos é absolutamente convincente encarnando o ditador paraguaio, um homem que desperta sentimentos de ódio e respeito em seu país. Um firme defensor de uma independência e de um nacionalismo que parecem não ter mais sentido hoje em dia.

Palestras

Duas palestras terão como tema países latino americanos: Imigração e Folclore Boliviano e a palestra interativa: Caminos Invisibles, um relato sobre o processo imigratório na América do Sul / Povos andinos no Brasil.

Cinema

Além da série da TAL outros filmes produzido em países vizinhos serão projetados nos FAS.

O Segredo dos Seus Olhos (Argentina/Espanha) . Benjamín Espósito (Ricardo Darín) trabalhou toda sua vida no Tribunal Penal, mas tem um grande sonho que vem atrasando: escrever um romance sobre um assassinato que ocorreu no ano de 1974, pelo qual ele foi responsável de investigar. Suas memórias sobre aquele ano irão transformar sua vida novamente.Oscar 2010 de Melhor Filme Estrangeiro, que vai contar com a presença da atriz protagonista do filme Soledad Villamil.

Gigante (Uruguai/Argentina/Alemanha/Espanha). Jara (Horacio Camandule), grande e tímido segurança de supermercado, descobre Julia (Leonor Svarcas), faxineira no lugar, pelas câmeras de vigilância e apaixona-se por ela. Logo, sua vida passa a girar em torno da rotina dessa mulher e pelo desejo de conhecê-la. Indicado como Melhor Filme Estrangeiro no Festival Goya. Ganhou o Urso de Prata, Grande Prêmio do Júri. Melhor Filme de Estréia e Prêmio Alfred Bauer no 59° Festival de Berlim e no Festival de Gramado ganhou Melhor Ator (Horacio Garnandule), Melhor Roteiro e Prêmio da Crítica.

Artes Plásticas

A mostra de artes plásticas realizada durante o Festival, que nas outras edições aconteceu no Instituto Luiz Albuquerque (ILA), nesta edição terá um novo endereço: a Casa Vasquez e traz a obra Intentos Fallidos (Tentativas) do artista colombiano Adriana Salazar; a mostra Banco Central Del Condor, do venezuelano Ricardo Benain e a exposição Circulando em Outras Dimensões, coordenada pela artista plástica brasileira Regina Carmona

Artesanato

A feira dos Países já é uma tradição artesanal no FAS, este ano alem da presença dos artesãos do Paraguai, Bolivia, Chile, Equador, Venezuela, Colômbia, Uruguai e Peru, o Festival terá o Projeto Mãos Que Criam, que são demonstrações de técnicas de artesanato com mestres artesãos de Mato Grosso do Sul, Goiás e Paraíba

Atrações Nacionais

Os grandes nomes da música nacional, o bom bahiano Morais Moreira, e a lenda do rock nacional, Rita Lee, serão as atrações nacionais do Palco América. Fecham a programação musical os grupos Casuarina e o Sururu na Roda. Com nove anos de trabalho calcado no samba e no choro e três discos lançados, o Sururu na Roda se mantém ligado à proposta de resgate cultural do cancioneiro popular e propõe releituras de outros diversos ritmos que constroem a música popular brasileira. Já o Casuarina colocou na órbita do samba a juventude carioca, tornando o grupo um dos principais expoentes nacionais da nova geração sambista. Em seu novo DVD, o "MTV apresenta: Casuarina", o quinteto traduz o conceito da famosa roda de samba.

Mais Música

O homenageado Benitez faz o show de abertura do Palco das Américas, que durante os cinco dias de festival ainda receberá:

A Velha Carne
A Velha Carne é uma das atraçoes que vai representar musicalmente a cidade de Corumbá no Festival. Com composições e integrantes jovens, promete ousadia no repertório.

Jennifer Margnética
Mostrar o que pensa o velho ébrio na sarjeta ou o que sente a ‘tia’ do balcão do buteco, por viver no submundo do submundo é o desafio que a banda se propôs a enfrentar em “O Verdadeiro Undergrond” show que dá nome ao novo CD da banda.

Diálogos
O show Diálogos propõe a fusão de uma orquestra tradicional com ritmos brasileiros, bolivianos e paraguaios. No palco estão os músicos da banda Muchileiros, (cujo vocalista é paraguaio), do Masis Brasil, especialistas em música andina, o boliviano Edgar Mancilla executando instrumentos típicos como as Zamponhas cromáticas, quenas, bombo leguero e músicos de orquestra regidos pelo maestro Eduardo Martinelli. A Orquestra Jovem da Fundação Barbosa Rodrigues fará uma apresentação no Museu de História do Pantanal (Muhpan)

Agemaduomi
Talento, amizade e uma pitada de irreverência. Com esses ingredientes, em 1995 foi formado o grupo regional de choro Agemaduomi, carinhosamente facilitado para "Agema". Sempre com a proposta de pesquisar e divulgar o chorinho — estilo musical tipicamente brasileiro que nasceu no final do século 19 — o grupo, desde o primeiro CD, “Proezas”, lançado em 2002, procura inovar com arranjos novos e influência de grandes compositores, como Pixinguinha, Chiquinha Gonzaga e contemporâneos, como Jacob do Bandolim.

Show Gideão Dias
O Samba pede passagem e faz o cavaco chorar novamente em Corumbá. Gideão vai apresentar o show “Samba sem Fronteira” com composições próprias que conta os desafios do dia-adia de forma irreverente.

Marinho Azevedo
Marinho Azevedo é um cantor sertanejo da cidade de Corumbá. Seu repertório é formado por músicas que vão da raiz sertaneja aos sucessos atuais.

Daniel De Paula
Tradicionalista quando se fala em música e seu show é feito com a viola do Cocho, um patrimônio histórico imaterial, produzido em Corumbá pelo “Seu Agripino”.

Forró Zen
O Grupo fez uma pesquisa dos ritmos nordestinos e inseriu no show “no Sertão do Pantanal” o timbre da viola caipira acompanhados pela “Catira”.

Artes Cênicas

A programação do 8º FAS esta recheada de grandes peças de teatro e de dança, tanto nacionais como internacionais, o grande destaque nacional é apresentação da peça O Doido do homenageado Elias Andreato, que se inspirou em grandes filósofos, poetas, pensadores e dramaturgos da história para falar de amor, arte e loucura. O texto foi criado a partir de obras de Artaud, Maiacovski, Rimbaud, Van Gogh, Cervantes, Shakespeare, Nietzsche, Nijínski, Tchecov, Dante, Goethe, Oscar Wilde, Fernando Pessoa e Ivan Ângelo. Vivendo personagens da dramaturgia mundial, Andreato usa apenas uma mesa e, por meio da palavra, busca encantar e arrebatar o público pelo pensamento dos grandes intelectuais.

Os Corcundas - Circo do Mato Grupo de Artes Cênicas
Uma pantomima que conta a saga de dois corcundas errantes: ele, o corcunda, simpático, feio e puro! Como um cão tenta ser amigo, mas tem medo dos homens. Ela, a corcunda, é feia e brincalhona. Esperta como um macaco, não entende a opinião ou lógica das pessoas. Depois de caminharem pelo mundo, sem nada para vender ou comprar, são arrebatados por um amor sincero, verdadeiro e engraçado.

Subversivos - Cia. Dançurbana
O espetáculo é fruto de resultados de uma pesquisa realizada pela Cia. Dançurbana sobre questões da criação coletiva, conceito e popular, relações sociais e etc., usando no seu processo investigativo o hip hop como ferramenta principal e suas possibilidades de criação. O estímulo aos sentidos, à percepção, à sensibilidade também são fatores que contribuem para que a dança seja instrumento de formação de indivíduos, tanto do público como dos dançarinos.

As mentiras que os homens contam - Cia Teatral Atuantes
A Companhia adaptou o livro de Luiz Fernando Veríssimo, levando para a cena toda a irreverência de sua obra, mostrando de forma cênica um tratado da mentira no cotidiano de todos nós.

A serpente - OFIT (Oficina de Interpretação Teatral)
A última peça de Nelson Rodrigues, conta a tragédia de uma família. Duas irmãs, Guida e Lígia que se casam no mesmo dia e resolvem ir morar na mesma casa. Enquanto Guida vive feliz e satisfeita com seu marido, Lígia vive a decepção de um casamento onde nem a primeira relação sexual é consumada. Os problemas começam quando Guida ‘tenta’ sua irmã oferecendo seu marido por uma noite, procurando solucionar a angústia de Lígia.

A entrevista - GET (Grupo de Experimentos Teatrais)
O espetáculo é baseado no gênero do cinema Francês (NOIR). É uma montagem no mínimo audaciosa onde os atores encenam praticamente no escuro; apenas uma penumbra revela plasticamente os movimentos e parte do cenário no espaço cênico. O publico tem espaço limitado e sensações de claustrofobia onde é recebido em uma atmosfera de muito suspense. A peça conta a historia de uma retirante que vai do nordeste para o Rio de Janeiro fugindo do marido que havia lhe agredido após um desentendimento num local publico. Ela resolve mudar de vida e acaba tendo algumas surpresas como encontros e desencontros no seu novo oficiam.

Incontornáveis – um teatro de incoerência e Horror - Mercado Cênico
O espetáculo é o primeiro de uma série de três trabalhos que a companhia pretende montar. O objetivo da direção é estimular a reflexão, a elasticidade do pensamento e a compreensão; de forma cênica e social do espectador. Incontornáveis foi concebido através do processo de depoimentos e estímulos dos atores, buscando assuntos referentes às violências cotidianas: físicas e emocionais, psicológicas e sociais.

Duelo Especial - Touro Encantado x Touro Bandido - Grupo Desafio do Touro Candil
O espetáculo é um misto de crenças, costumes, religião e o colorido das fantasias. O desempenho dos grupos, que representam os Touros Bandido, simbolizado pela cor verde e Encantado, simbolizado pela cor amarela envolve e encanta na tentativa de convencer o público sobre quem é o legítimo filho do Touro Candil.

Baú de Histórias - Cia Ópera na Mala
No Espetáculo Baú de Histórias a Companhia traz a magia dos contos de fadas, mitos e lendas de várias partes do mundo e contos de tradição oral. Personagens como o Contador de Histórias e a Princesa do Castelo, Pedro Malasartes e Dona Velha, Don Quixote e Sancho Pança entre outros saem de seus baús para contar suas histórias. Utilizando bonecos de várias técnicas, teatro de sombras, e muita música executada com instrumentos típicos a dupla de contadores traz um pouco da cultura dos países de origem das histórias de forma dinâmica e bem humorada.

As mentiras que os homens contam - Cia Teatral Atuantes
A Companhia adaptou o livro de Luiz Fernando Veríssimo, levando para a cena toda a irreverência de sua obra, mostrando de forma cênica um tratado da mentira no cotidiano de todos nós.

Festa no Céu - cia rodamoinho
Compadre sapo busca compreender problemas ecológicos que têm surgido em seu brejo e deseja participar da festa que vai acontecer no céu. Engana o compadre urubu e viaja escondido nos pertences do amigo. Na volta, em pleno vôo, o urubu se descobre enganado. Nasce aí o maior conflito da peça: jogar ou não jogar o sapo dos ares para a terra? A decisão do urubu e outros acontecimentos levam o público a refletir sobre a preservação da natureza e sobre o ciclo: vida, morte e renascimento.

Cinema - Mostra Regional


Ela Veio me Ver
O filme conta a história de dois adolescentes tímidos, que passam uma tarde juntos pela primeira vez. Foi inteiramente rodado na cidade de Campo Grande. Participou do 27ª edição do Festival de Cinema Latino-Americano.

O Caso de Joanita
Baseado em um conto homônimo do escritor Augusto César Proença, o média foi rodado em Corumbá.

Mostra Nacional


Reflexões de um Liquidificador
Um liquidificador pensa e narra essa história. Ele também conversa com sua proprietária Elvira uma senhora já da terceira idade. Logo descobrimos que os dois Elvira e liquidificador são cúmplices de um crime: o assassinato de Onofre o marido de Elvira que depois foi moído no liquidificador. Num tom de humor negro e sarcasmo ficamos conhecendo como o liquidificador adquiriu vida ao ser reformado por Onofre quando o casal era dono de um pequeno bar a Vitamina da Elvira. A história do casal é intercalada com o medo que Elvira tem de ser descoberta pela polícia e o aconselhamento e reflexões do sábio eletrodoméstico.


Subsolo - Mostra do diretor de fotografia Jaime Lerner (Rio Grande do Sul)
O que é ficar no escuro, sem saber como agir, qual direção tomar? Essa é a sensação de Mônica que não consegue levar adiante a vida que o destino lhe reservou. Ela planeja com detalhes a despedida desta vida, mas o destino mais uma vez vai lhe prega uma peça. Prêmio de Melhor Direção no Festival de Gramado, Melhor Direção, Atriz e Melhor Filme em Toronto - Brafft, Melhor Direção, Roteiro e Montagem no Festival de Canoa Quebrada, Melhor Trilha Mostra Gaúcha do Festival de Gramado e Prêmio Lecine.

Porto Alegre, Meu Canto no Mundo
Documentário que mistura ficção sobre a cidade de Porto Alegre, como se constrói e se modifica o olhar do cidadão, sobre o espaço urbano onde convive.

Após as apresentações haverá debates com o diretor de fotografia Jaime Lerner, com os diretores Essi Leal, Reynaldo Paes de Barros e com o escritor Augusto César Proença. Os debates serão mediados pelo cinegrafista de Mato Grosso do Sul, Candido Alberto da Fonseca.

Quebra-torto com Letras

O Moinho Cultural continua sendo o espaço dedicado à literatura durante o Festival América do Sul, que nesta edição incorpora a música à literatura durante suas apresentações. Durante o FAS sempre, a partir das 8h acontece o café da manhã pantaneiro e bate-papo literário.

Serão feitos o lançamentos dos livros: A literatura sul-mato-grossense na ótica de seus construtores, escrito por Maria da Glória Sá Rosa e Albana Xavier Nogueira; O lobisomem do trem do pantanal, de Jair Buchara Justiniano; Os pioneiros – a origem da música sertaneja de MS, do músico e jornalista Rodrigo Teixeira; O segredo da aprendizagem – transformando a rotina em ritual, da autora Jane Baruki Ferreira; Canção antiga – Pantanal revisitado, de Corintha Maciel; e Animais mais mais – música, poesia e muito +, do biologo e professor Paulo Robson de Souza.

A musicalidade do café da manhã pantaneiro ficará por conta do batepapo América Musical com Clayber de Souza e o Sarau Mais Caipira, um batepapo com apresentação de música de raiz e cancioneiros brasileiros com Suzana Sales, Ivan e Lenine Vilella.

Mais Festival
 

Durante todo o Festival América do Sul acontece nas ruas de Corumbá apresentações artísticas das mais diferentes áreas. Mágicos, palhaços, mímicos, músicos, entre outros, farão da rua o seu palco, alegrando os transeuntes com muito bom humor.

Duas oficinas acontecem no festival: Oficina de Customização, ministrada por Ana Maria Ferreira Lopes e e a Oficina Lúdica de criação de instrumentos musicais com material alternativo, ministrada por músicos da Orquestra Jovem da Fundação Barbosa Rodrigues.

As visitações turísticas estarão abertas na Estação Natureza Pantanal – Fundação O Boticário, com a exposição interativa Estação Natureza Pantanal; no muhpan, com a exposição: Passa no Museu que a arte te abraça, na Galeria dos Homenageados, com material que expõe vida e obra dos homenageados do FAS, e na Casa do Artesão de Corumbá, com mostras do artesanato local.

O Festival América do Sul com grandes shows musicais, dança, teatro, circo, exposições de artes plásticas, mostras de artesanato e cinema, apresentações de artistas de rua, debates e palestras faz deste o maior Festival de todos os tempos. Mais de 800 mil pessoas participaram das edições anteriores, entre artistas, intelectuais, autoridades governamentais, estudantes, comunidades sul-mato-grossenses e dos países sul-americanos, além de turistas vindos de diversos locais do país e do mundo.

Leia Também