Domingo, 25 de Fevereiro de 2018

Fórmula 1

Ferrari admite jogo de equipe em 2002 e isenta Alonso de culpa

17 DEZ 2010Por Gazeta Esportiva10h:47

Após reacender algumas polêmicas nos últimos dias na Fórmula 1, o presidente da Ferrari, Luca di Montezemolo, foi mais sincero ao admitir que a equipe fez mesmo uso do chamado jogo de equipe em 2002, ao dar ordens para o brasileiro Rubens Barrichello deixar o alemão Michael Schumacher ultrapassá-lo. E afirmou que na repetição do caso neste ano, com Felipe Massa e Fernando Alonso, a situação foi diferente da anterior.

"Acho que fomos longe demais naquela ocasião, mas não foi o caso na Alemanha (neste ano). Fernando era mais veloz que Felipe. O que não seria certo era se isso acontecesse no começo do ano", argumentou o dirigente, que garantiu que a situação dos dois pilotos volta a ser idêntica no próximo Mundial.

"Para 2011, tudo está igual de novo. Quero dois pilotos lutando pelo campeonato, não um deles frustrado na primeira prova. Na segunda metade do ano analisaremos a situação e veremos o que será preciso", contou.

Montezemolo refutou, ainda, as especulações de que poderia deixar a Fórmula 1 para se candidatar a um cargo político na Itália. Nas últimas semanas, o presidente ferrarista foi tido como possível sucessor de Silvio Berlusconi como primeiro-ministro da Itália.

"Conversei com a família Ferrari e posso dizer que meu futuro é aqui. O trabalho é minha vida e permanecerá desta forma", finalizou.

Leia Também