Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

NÃO FOI FÁCIL

Fellipe Bastos perde pênalti, e Vasco <br> fica no empate

Fellipe Bastos perde pênalti, e Vasco <br> fica no empate
18/01/2014 20:33 - TERRA


Parece que a temporada de 2013 ainda não acabou para o Vasco. Afinal, após ser rebaixado no Campeonato Brasileiro, o time cruzmaltino empatou uma partida que parecia fácil. Além de sair na frente contra o Boavista, o Vasco ainda teve um pênalti no segundo tempo, mas Getúlio Vargas defendeu a péssima cobrança de Fellipe Bastos. Dessa forma, a partida terminou 1 a 1 em São Januário, para tristeza da torcida.

O jogo começou tranquilo para o Vasco, que parecia muito superior ao Boavista. Até porque aos 11min já saiu o primeiro gol: o recém-contratado Marlon cruzou na medida para Reginaldo chutar bem e balançar a rede.

O Boavista até criou uma chance de gol depois. Mas Diogo Silva defendeu e, depois disso, o Vasco controlou a partida. Pouco antes do intervalo, Edmilson quase marcou o segundo de cabeça, mas a bola foi na trave.

O Boavista só conseguiu reagir no segundo tempo. Mais exatamente aos 16min, quando Cascata avançou sem marcação e chutou cruzado com sucesso.

A partir desse momento, o jogo ficou aberto. Os dois times podiam ter chegado ao gol, mas foi o Vasco que teve a melhor oportunidade, já que o juiz marcou pênalti em Montoya. Porém, o homem das bolas paradas no time, o volante Fellipe Bastos, cobrou muito mal e Getúlio Vargas espalmou.

Depois disso, como era de se esperar, o jogo se arrastou até o final. O Vasco ficou apático por causa do pênalti perdido, enquanto o Boavista parecia não ter fôlego para contra-atacar e surpreender.

Felpuda


A continuar disparando tantas críticas ácidas contradizendo o seu partido, que em nível nacional ganhou até um ministério, político cá dessas bandas poderá ser colocado de escanteio e, se continuar nessa cruzada nada palatável para as lideranças, ser convidado gentilmente a “procurar o caminhão do qual caiu”, como se diz no popular. Os comentários são de que o dito-cujo age assim mais para ganhar holofotes. Esqueceu-se, pelo que se vê, que poderá ocorrer curto-circuito. Ui!