Campo Grande - MS, quarta, 15 de agosto de 2018

BALANÇO

Feirão vendeu 2,1 mil imóveis na Capital

30 MAI 2011Por da redação11h:28

O 7º Feirão Caixa da Casa Própria e a 8ª Feira de Imóveis do Secovi/MS encerrou no sábado, com 2.150 imóveis comercializados. A média foi de 537,5 negócios por dia, sendo uma casa vendida a cada 56 segundos.

O resultado positivo também evidencia o diferencial deste ano que foi o aumento do valor médio dos imóveis, como apontam as próprias imobiliárias participantes. Com experiência de participar a oito anos consecutivos do Feirão, o empresário Nelson Benedito Neto Junior destaca o perfil seletivo do público desta edição. “Nós percebemos um público mais focado e com poder aquisitivo maior. Em média a faixa de renda familiar este ano ficou entre três salários mínimos. Ano passado recebemos muitos visitantes entre um e três salários. Essa mudança de perfil fez com que subisse também o valor dos imóveis negociados”, afirma.

De acordo com o superintendente da Caixa, Paulo Antunes da Siqueira, o valor médio dos imóveis comercializados no feirão foi de R$ 148 mil, 23% maior que o valor médio da edição anterior. “O Feirão da Casa Própria é um importante indicador da economia. Os resultados positivos mostram que nossa economia está estável, o mercado continua aquecido e que o poder aquisitivo do consumidor está maior”.

A Facundo Imóveis aproveitou o Feirão para lançar o Residencial Terra Morena, que oferece casas a partir de R$ 66 mil, realizou mais de 120 cadastro de intenções de compra e declarou o evento como “ideal para lançar empreendimentos”.

Pós-Feirão

Durante os quatro dias, o feirão recebeu um público de 10 mil pessoas. Para o presidente do Secovi/MS, Marcos Augusto Neto, uma oportunidade para que as imobiliárias e incorporadoras que participaram do evento possam ampliar os resultados. “Muitos negócios começam durante o Feirão e são efetivados na semana seguinte”, explica.

Somente a Rossi Incorporadora vendeu em três dias o que leva um mês para vender no plantão de vendas e ainda espera para os próximos dias concretizar outros negócios ainda sob efeito colateral do Feirão.

A incorporadora canadense Brookfield, que aportou em Campo Grande com um empreendimento ousado e um conceito inovador, participou do Feirão com objetivo de consolidar a marca e surpreendeu-se com as vendas.

Leia Também