ECONOMIA

Feirão da casa própria movimentou R$ 200 milhões

Feirão da casa própria movimentou R$ 200 milhões
01/06/2010 06:45 -


As vendas na 7ª Feira de Imóveis de Campo Grande, realizada pela Caixa Econômica Federal (CEF) e o Sindicato da Habitação de Mato Grosso do Sul (Secovi/MS), entre os dias 26 e 29 de maio, totalizaram R$ 202 milhões, superando em 34,6% o montante do mesmo evento em 2009, quando foram cerca de R$ 150 milhões investidos em casas e apartamentos. Porém o valor ficou aquém dos R$ 600 milhões disponibilizados em crédito para contratações pelo Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE); Programa Minha Casa, Minha Vida; e Recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).
Segundo o gerente regional de canais da Caixa em Mato Grosso do Sul, Paulo César Neves de Matos, há ainda outros R$ 200 milhões que estão em fase de negociação e que podem ser confirmados nos próximos dias. “São imóveis que foram vistos durante a feira, mas estão dependendo de algum trâmite para serem comprados definitivamente”, explica.
Em relação à feira passada, de 2009, houve acréscimo de 152%. Das cinco mil casas, apartamentos e terrenos disponíveis nos cerca de 50 estandes do feirão, 2.015 foram vendidas, enquanto, na 6ª edição foram apenas 800. Mais de 80% das vendas, conforme Matos, foram feitas por meio do Minha Casa, Minha Vida, na aquisição de imóveis com preço médio de R$ 100 mil. (AM)
smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".