domingo, 22 de julho de 2018

TÊNIS

Federer humilha Murray na casa do rival

24 NOV 2010Por ESTADÃO07h:53

Os torcedores que lotaram a Arena O2 tinham esperança de ver uma nova exibição de gala entre Roger Federer e Andy Murray - de preferência, com a vitória do britânico, tal como ocorreu na final do Masters de Xangai, em outubro. Acabaram, porém, assistindo a um passeio do suíço diante do tenista local. Em uma atuação irreconhecível, Murray não ofereceu resistência e foi derrotado facilmente por 6/4 e 6/2 no Masters de Londres.

Federer, que busca o seu 5.º título no torneio que reúne os oito melhores tenistas do ano, havia enfrentado 13 batalhas contra Murray. Ontem, porém, venceu com o mínimo esforço, em apenas 1h16 e cedendo somente oito pontos em seu saque. Está praticamente garantido na semifinal, depois da segunda vitória em dois jogos no Grupo B.

Murray começou mal, com golpes sem precisão no fundo de quadra, e perdeu o primeiro set em somente 36 minutos. A torcida esperava uma resposta no segundo set, mas ficou decepcionada. Por pouco, o escocês não levou um pneu, já que Federer chegou a abrir 4 a0 no período. O vexame só foi evitado porque Murray conseguiu confirmar dois saques.

"Estou surpreso por ser capaz de derrotar Andy jogando aqui. Deveria ter sido muito duro em Londres, mas ele cometeu alguns erros e eu fiz uma boa partida, jogando de maneira sólida do começo ao fim", disse Federer após o encontro que garantiu sua 6.ª vitória em 14 jogos contra o rival. Mas, ciente da capacidade de Murray, o número 2 do mundo não descarta a presença do adversário nas semifinais. "Tenho certeza de que ele vai virar a página e jogará uma boa partida na próxima rodada."

 

Murray, que venceu Robin Soderling na estreia, definirá seu futuro amanhã contra David Ferrer. "Comecei os dois sets muito mal", reconheceu o escocês. "Saquei mal, devolvi mal, assim é impossível ganhar. Não estava tenso. Só tentei ser agressivo, porque isso funcionou em Xangai. A verdade é que cometi mais erros do que o normal."

 

Diego Maradona apareceu mais uma vez na Arena O2. Ontem, não poupou aplausos para Roger Federer e fez questão de abraçar o tenista, que afirmou ter ficado emocionado com o apoio. "Sou um grande torcedor de futebol. Foi um prazer conhecê-lo. Soube que Maradona é admirador do tênis e do meu trabalho. Estou emocionado."

 

Soderling vive. O sueco Robin Soderling manteve suas chances de ir às semifinais ao vencer David Ferrer por 7/5 e 7/6 (7/5) em 1h41. Com duas derrotas, o espanhol está eliminado.

 

Premiação. Número um do mundo, Rafael Nadal, enfrenta hoje o sérvio Novak Djokovic, em duelo pela primeira posição do Grupo A, a partir das 18 horas (de Brasília) - antes, jogam Tomas Berdych e Andy Roddick.

 

Ontem, o espanhol recebeu o prêmio ATP por terminar a temporada como líder do ranking. "Este foi um ano muito especial", disse. Ele ganhou três Grand Slams (Roland Garros, Wimbledon e US Open). Nadal entrou na quadra ao final do jogo entre Federer e Murray, surpreendendo muitos dos presentes.



Leia Também