Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CIDADES

Federais apreendem 500 canários-da-terra

Federais apreendem 500 canários-da-terra
11/08/2010 07:53 -


Sílvio Andrade, Corumbá

Policiais federais lotados na Delegacia de Corumbá apreenderam 500 canários-da-terra. O fato se deu na madrugada de ontem e as aves estavam sendo traficadas para a cidade de Belo Horizonte (MG) por quatro homens.
O Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) emitirá hoje laudo sobre a espécie para definir a multa a ser aplicada – se pertence à fauna brasileira ou é exótica.
O flagrante ocorreu no pedágio da BR-262, na ponte sobre o Rio Paraguai, distante 70 quilômetros de Corumbá. Quatro pessoas foram presas: os irmãos Diogo e Diego Baleiro Oliveira Souza, 26 anos; Marcelo Barroso Câmara, 36; e Cleiton Moreira Pires, 37. Eles disseram à polícia que compraram os pássaros na Bolívia, por R$ 2 mil o lote.

Gaiolas
Os canários estavam sendo transportados em dois veículos, uma Mitsubishi Pajero, apreendida, e um táxi com placa de Corumbá, distribuídos em 12 gaiolas e em condições precárias.
A Polícia Federal informou que o taxista foi liberado porque não foi comprovado seu envolvimento. Ele teria sido contratado apenas para a corrida até a capital mineira.
O bando foi indiciado pelos crimes de receptação, formação de quadrilha, maus-tratos a animais silvestres e crime ambiental, podendo ser condenado a até 12 anos de prisão, alem do pagamento de multas ao Ibama: R$ 5 mil por ave, caso seja da fauna brasileira, ou R$ 500 por unidade, sendo contrabandeada da Bolívia, como alegam os criminosos.

Felpuda


Considerados “traíras” por terem abandonado o barco diante dos indícios da chegada da borrasca à antiga liderança, alguns pré-candidatos terão de se esforçar para escapar da, digamos assim, vingança, velha conhecida da dita figurinha. Dizem por aí que há promessas nesse sentido, para que os resultados dos “vira-casacas” nas urnas sejam pífios. Sabe aquela velha máxima: “Pisa. Mas, quando eu levantar, corre!” Pois é...