Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PORTAS ESCANCARADAS

Fechamento das fronteiras é proposta dos deputados para conter violência

Fechamento das fronteiras é proposta dos deputados para conter violência
05/09/2012 00:02 - JULIENE KATAYAMA


Sob o impacto da violência que assombrou Campo Grande na semana passada quando Breno Luigi Silvestrini de Araújo, 18, e Leonardo Batista Fernandes, 19, foram mortos brutalmente por uma quadrilha que roubou-lhes a caminhonete para trocar por três quilos de cocaína na Bolívia, os deputados estaduais discutiram na sessão de ontem, da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, o fechamento das fronteiras do Estado com Paraguai e Bolívia.

A medida é vista como estratégia para conter a ação de quadrilhas, que estimuladas pelas encomendas de veículos roubados, seja para revenda a receptadores paraguaios ou para troca com fornecedores bolivianos de cocaína, estão agindo no Estado, particularmente em Campo Grande.

Em menos de um mês, a polícia conseguiu evitar a passagem de três veículos roubados, cujos motoristas estavam em poder de bandidos. Em dois episódios, assaltantes foram presos e outros mortos pela polícia. No terceiro caso, dos estudantes, o veículo, uma Pajero não atravessou a fronteira, mas as vítimas foram assassinadas.

Ocorrência semelhante aconteceu em julho, quando assaltantes mataram o empresário Alberto Raghiante Júnior e Luzia Barbosa Damasceno Costa , para o roubo de um Hiunday Azera.

Os páis dos estudantes também participaramn da sessão na Assembleia, mas, ao contrário dos deputados, acreditam que a solução da violência está na família. Eles pediram aos parlamentares, providências ''antes que outros jovem sejam vítimas".

Leia mais no jornal Correio do Estado

Felpuda


A tal estratégia de jogar informações nas redes sociais com objetivo de prejudicar adversários está começando a gerar reações. Uma dessas figurinhas vai ter de explicar, na Justiça, o por quê de postagem trazendo suspeitas pesadas contra cabeça coroada, que não gostou nadica de nada de ver o seu nome sendo usado como “bucha de canhão” para fins eleitoreiros. Vem chumbo grosso por aí! E sai debaixo!...