Campo Grande - MS, terça, 21 de agosto de 2018

Comida

FDA analisa ligação entre corantes alimentares e hiperatividade

30 MAR 2011Por ASSOCIATED PRESS23h:00

A FDA (agência que regula remédios e alimentos nos EUA) está analisando a ligação entre corantes encontrados nos alimentos do dia a dia e hiperatividade em crianças.

Em uma reunião de dois dias que começa nesta quarta-feira, um comitê consultivo da FDA irá decidir se os dados disponíveis relacionam os corantes à desordem.

O painel vai recomendar na quinta-feira (31) se a agência deve regular os corantes, fazer mais estudos sobre o assunto ou exigir rótulos melhores dos aditivos. Ainda podem recomendar que a FDA não faça nada.

A agência reguladora disse que até agora não existe nenhuma relação comprovada entre corantes e hiperatividade na maioria das crianças. Mas afirmou que em "certas crianças suscetíveis", a hiperatividade e outros problemas comportamentais podem ser exacerbados por corantes e outras substâncias nos alimentos.

Defensores da saúde pública concordam que os aditivos não parecem ser a causa principal da hiperatividade, mas dizem que os efeitos dos corantes em algumas crianças é suficiente para interdição das substâncias.

O FDA vai realizar a reunião em resposta a uma petição 2008 apresentada pelo grupo de defesa Centro de Ciência no Interesse Público para proibir oito corantes.

Michael Jacobson, diretor do grupo, disse na reunião de quarta que a única razão para os corantes nos alimentos é enganar os consumidores. Alguns fabricantes usam menos corantes nos mesmos alimentos vendidos na Europa, por causa de preocupação dos europeus com a hiperatividade.

"Corantes são geralmente usados para deixar junk food mais atraente para crianças, ou para simular a presença de uma fruta saudável ou outro ingrediente natural", disse Jacobson. "Apenas os fabricantes de corantes sentiriam falta dos aditivos nos alimentos."

Jacobson admitiu que proibir completamente as substâncias seria difícil, pedindo à FDA para pelo menos colocar advertências nos rótulos das embalagens dos alimentos.

Os cientistas e defensores públicos têm debatido o assunto por mais de 30 anos, com o crescente aumento do uso de corantes em alimentos. O painel consultivo vai peneirar uma variedade de estudos durante a reunião de dois dias, sendo que alguns apresentam mais de uma relação entre corantes e hiperatividade do que outros.

A indústria alimentar está alertando os consumidores a não apressar o julgamento. David Schmidt, presidente e CEO do International Food Information Council Foundation, um grupo da indústria alimentar, disse que os corantes ajudam os consumidores a aproveitar os alimentos por manter ou melhorar a aparência.

Sugerindo uma ligação entre os aditivos de cor e o transtorno de déficit de atenção em crianças "poderia ter consequências não intencionais, assustando desnecessariamente os consumidores sobre ingredientes seguros que são consumidos todos os dias", disse ele.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também