sábado, 21 de julho de 2018

Fazenda em São Gabriel do Oeste vai produzir quatro mil animais

21 NOV 2010Por 02h:35

A Strut, aberta em 1995, conseguiu sair por cima da derrocada do mercado de avestruz, que quase apagou em todo o País. A empresa tem, segundo Manoel Pivetta, o maior frigorífico do mundo fora da África do Sul, país de origem da ave. O único concorrente brasileiro fica em Sobral, na Bahia. Neste ano, a fazenda de São Gabriel do Oeste vai produzir 4 mil animais, de 25 quilos.

Tudo vira dinheiro, da gordura às plumas, que, além de ser matéria-prima de espanador, enfeitarão o carnaval da Acadêmicos do Tucuruvi, da Capital. Serão 300 quilos ao custo superior a R$ 100 mil. A gordura, cujo litro custava R$ 0,15, foi descoberta pela indústria de cosméticos e não sai por menos de R$ 15, valorização de 9.900%. Já o couro se transforma em acessórios, calçados e roupas nas quatro lojas do filho de Pivetta.

Ainda assim, a carne é a mais lucrativa. A maior parte é enviada a mercados maiores, como São Paulo, e deve ganhar as prateleiras do Carrefour em breve, assim como as de açougue de Campo Grande. Para mudar hábitos do consumidor desde a infância, o produto chega à merenda de escolas municipais da Capital e de São Gabriel do Oeste a preços subsidiados. "É mais barata porque é uma forma de levar alimentação mais nutritiva para as crianças e mudar hábitos: o ‘guri’ come, gosta, e fala para o pai que é boa", detalha o empresário.

A propaganda, claro, se baseia nas características nutritivas do avestruz. "É o tipo mais magro, tem 12 vezes menos gordura do que o boi, e disso, só 37% é saturada", anuncia o dono do mercado. (CHB)

Leia Também