Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

SEM MATERIAL ESCOLAR

Famílias se sacrificam pelo estudo dos filhos

Famílias se sacrificam pelo estudo dos filhos
14/02/2014 00:00 - DA REDAÇÃO


Com o atraso na entrega dos kits escolares na rede municipal de ensino em Campo Grande, os pais estão retirando dinheiro do orçamento de casa para não atrapalhar o estudo dos filhos, informa o jornal Correio do Estado desta sexta-feira (14).

É o caso da vendedora ambulante Marluce da Conceição Santos, de 31 anos, que mora no bairro Parque do Sol, na região sul da Capital. Ela gastou R$ 80 para garantir o material escolar da filha Ana Carolina, de 8 anos. “Pesa muito no orçamento, mas não quero que ela seja prejudicada”, diz.

A garota cursa o sexto ano do ensino fundamental, na Escola Municipal Padre Tomaz Ghirardelli, que fica no bairro vizinho Dom Antônio Barbosa.

Com cerca de 2,4 mil alunos, a Padre Tomaz Ghirardelli é uma das maiores da rede municipal. Todas as crianças sofrem a mesma situação. A auxiliar de limpeza Maria Helena, de 31 anos, tem dois filhos matriculados no local.

Sem dinheiro, ela precisou esperar o salário para somente nesta semana, comprar a mochila do filho Guilherme, de 5 anos, que cursa a pré-escola.

A matéria é assinada por Rafael Bueno. 

Felpuda


Sindicalista defende o fim de mordomias e privilégios dos políticos e dos integrantes de outros Poderes, conforme divulgação feita por sua assessoria. Para ele, está na hora de se colocar um basta nessa situação, questionando, inclusive, o número de parlamentares e de assessores. Entretanto, não demonstra a mesma aversão por aqueles dirigentes de sindicatos que se perpetuam no poder e que comandam mais de uma entidade, assim como ele. Afinal, o exemplo deve vir de casa, né?