Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Famílias escolheram cidade por causa da terra

3 JUL 10 - 00h:14
Por que os holandeses escolheram Maracaju para morar? A resposta é de Gerrit Hendrik Bouwman, que chegou à cidade em 1971, após a constatação de que ali era “uma Holanda”, onde era possível produzir em terras baratas e amplas. Seguindo os passos dos gaúchos que se dirigiam ao norte do País, os holandeses que participavam de colônias no Paraná e São Paulo também vieram ver o que de bom havia em terras sul-mato-grossenses.
“Cheguei ao Brasil com 6 anos. As coisas na Europa estavam difíceis após a II Guerra Mundial. Meu pai, Berend Bouwman, que sempre gostou de coisas novas, decidiu vir para o Brasil. Fomos para Castrolanda (PR) e foi onde cresci. Já adulto, depois de estudar, fui para o Rio Grande do Sul e, em 1971, vim para Maracaju”, recorda-se.
O primeiro ano em Maracaju foi difícil, com a plantação de trigo. No entanto, com a correção do solo, obtiveram produtividade de soja superior às terras no Paraná. ”Plantamos soja em outubro, milho em fevereiro e aveia em julho. São três vezes por ano”, ressaltou o ex-agricultor, que hoje é presidente da Fundação Maracaju, centro de treinamento agropecuário, industrial e comercial para formação de mão de obra.
Carla Spekken chegou ao Brasil com apenas nove meses. Seis de seus dez irmãos nasceram no Brasil. “Decidimos vir para o Brasil para trabalhar na agricultura. Aqui em Maracaju já tinha dois irmãos”, relatou. (ST)
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Funtrab oferece 162 vagas de emprego para Campo Grande nesta terça-feira
OPORTUNIDADE

Funtrab oferece 162 vagas
de emprego nesta terça-feira

Para CCR, chance de perder ação para revisão de contrato é “remota”
CONCESSÃO

CCR vê chance remota de perder ação contra ANTT

No quarto “apagão” do ano, Detran deixa de realizar 6 mil atendimentos
FORA DO AR

No quarto “apagão” do ano, Detran deixa de realizar 6 mil atendimentos

Sequestrador de ônibus na Ponte Rio-Niterói é morto; foram três horas e meia de cerco
TENSÃO

Sequestrador de ônibus na Ponte Rio-Niterói é morto; foram três horas e meia de cerco

Mais Lidas