Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

Famílias do Distrito Federal já podem marcar consultas pela TV digital

Famílias do Distrito Federal já podem marcar consultas pela TV digital
22/02/2014 17:00 - AGÊNCIA BRASIL


Um grupo de 60 famílias de Samambaia, região administrativa do Distrito Federal (DF), já pode marcar consultas na rede pública de saúde, ver ofertas de emprego em tempo real e agendar atendimentos no Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) usando o controle remoto da televisão. O projeto Brasil 4D foi lançado na cidade na última segunda-feira (17).

Por meio do Brasil 4D, criado e desenvolvido pela Empresa Brasil de Comunicação (EBC), as famílias contempladas, beneficiárias dos programas Bolsa Família e DF sem Miséria, também podem fazer a atualização do Cadastro Único e saber os compromissos que precisam cumprir para continuar a ter acesso aos benefícios. Futuramente, elas poderão se inscrever no Programa Minha Casa, Minha Vida pela televisão.

Até junho, mais 300 casas vão receber o sistema na cidade de Ceilândia, também no DF. A EBC está finalizando o acordo com a prefeitura de São Paulo para instalar o Brasil 4D na cidade. O sistema já tinha sido lançado no ano passado em João Pessoa, para um grupo de 100 famílias.

O coordenador do projeto, André Barbosa, diz que o sistema avançou muito desde a primeira etapa de implantação, com a inclusão de novos aplicativos a cada semana. Além disso, já é possível mudar os conteúdos do sistema pelo ar, sem precisar mexer no leitor instalado na casa das pessoas. “Em vez de mudar fisicamente cada caixinha, podemos mandar um código novo e as pessoas acordam de manhã com uma nova programação no ar”.

Para ter acesso ao Brasil 4D, é preciso ter um conversor digital e uma antena UHF, que são fornecidos às famílias selecionadas. Com isso, também é possível receber o sinal digital da TV aberta. “As pessoas vão poder ver a Copa do Mundo em sinal digital já, em qualquer emissora, sem chuviscos nem fantasmas”, explica Barbosa. As famílias que participam do projeto são escolhidas por meio de sorteio, em bairros selecionados pelas prefeituras.

Para Barbosa, o diferencial do projeto é a união entre as linguagens da televisão e da internet. “É algo a que as pessoas já estão acostumadas, que é a linguagem de televisão, somando-dr à internet, principalmente para as pessoas que ainda não têm internet em casa”, diz.

No Distrito Federal, o projeto será acompanhado pelo Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (Ipea), que vai avaliar o impacto socioeconômico da televisão digital na vida das famílias participantes. As quatro letras “D” contidas na nomenclatura Brasil 4D representam as palavras digital, desenvolvimento, diversidade e democracia.

Felpuda


O sumiço de algumas figurinhas carimbadas da política não acontece em virtude da necessidade de isolamento como uma das formas de prevenção à pandemia. Em verdade, seria porque não têm mesmo o que e a quem falar. Com o advento das redes sociais, quem acha que fazer campanha eleitoral continua como na época do “eu prometo” está a um passo de ver o sonho de conquistar mandato se transformar em pesadelo. Pelo jeito, não estão nem conseguindo dormir.