sábado, 21 de julho de 2018

SÃO CONRADO

Família fica refém de bandidos por 3 horas

13 DEZ 2010Por NADYENKA CASTRO02h:30

Uma família ficou três horas refém de bandidos na madrugada de ontem, no Bairro São Conrado, em Campo Grande. Os criminosos roubaram um caminhão carregado com caixas de cerveja Cintra, R$ 750 e três celulares. Esta é a segunda vez, em menos de seis meses, que o caminhoneiro, de 41 anos, é alvo de bandidos.

Era 2 horas quando três ladrões pularam o muro da casa do trabalhador, no Bairro São Conrado, arrombaram a porta principal e entraram. Já no interior da casa, renderam o caminhoneiro, a esposa dele e os filhos do casal de 4 e 5 anos. O homem foi amarrado com uma calça jeans e todos ficaram trancados em um dos quartos do imóvel. "Eu acordei com uma pancada na porta e quando olhei, tinha um revólver na minha cara", disse o caminhoneiro.

De acordo com a vítima, eram pelo menos quatro autores. "Um ficou em pé na porta, outro com a arma apontada para a gente, um procurando a chave para abrir o portão e outro ligando o caminhão". Dois dos autores fugiram com o veículo e os outros permaneceram na residência com a família até por volta das 5 horas. "Meus filhos estão bem, já minha esposa está bastante abalada".

Ao ser liberado, o caminhoneiro acionou a empresa para a qual trabalha. A polícia foi chamada e recuperou o caminhão em Corumbá, fronteira com a Bolívia, e Klaus Frederik Martinez Sanches, de 23 anos, e Renata Freitas, 22, foram presos. Além deles, um adolescente também envolvido no crime foi apreendido. De acordo com a polícia, a ordem para roubar o caminhão teria partido de um presídio de Campo Grande, onde está detido o irmão do adolescente, Diogo de Souza, de 22 anos. A mãe do detento também foi apontada como envolvida no crime.

Susto
"Imagina o que eu passei. Tive duas noites maldormidas, porque estava trabalhando. Cheguei em casa 19h40min. Estava dormindo, descansando, quando acordei com o revólver na minha cara", diz o caminhoneiro sobre o medo e o susto.

Ele já tinha sido assaltado há cerca de quatro meses. "Esta vez eles roubaram só dinheiro. Só não levaram o caminhão porque não tinha motorista". Após o crime, o trabalhador mudou de residência, mas permaneceu no mesmo bairro.

O caminhão roubado na madrugada de ontem estava carregado com 264 dúzias de garrafas de cerveja. Estava na casa da vítima porque ela iria levar a mercadoria ontem à tarde para Corumbá.

Leia Também