Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, sexta, 14 de dezembro de 2018

JARDIM CENTRO-OESTE

Família diz que jovem morto respondeu por crime que não cometeu

21 MAR 2011Por vivianne nunes15h:26

A família do jovem Maxuell Takeji, 19 anos, morto com três tiros na tarde de ontem por um irmão de criação, no bairro Jardim Centro-Oeste, justifica que a prisão da vítima, acusada em 2009 de ter estuprado uma sobrinha à época com quatro anos de idade, ocorreu injustamente, já que o verdadeiro autor do estupro era um tio dele que após o ato, teria feito com que a criança colocasse a culpa em Maxuell. O familiar que não quis ter seu nome revelado lamenta que a vítima tenha sido presa injustamente por um crime que não cometeu. “Foi um tio dele que estuprou a criança. Ele já está preso e confessou o acontecido”, afirmou o parente. Segundo ele, até mesmo a criança teria confirmado a versão ao juiz. O tio, seria um pai de santo que morava na cidade de Água Clara e veio para a Capital depois de ser acusado de cometer outro estupro, desta vez contra uma criança de seis anos. "Já temos notícias de uma outra mãe que quer denuncia-lo", afirmou a fonte.

O acusado pela morte do rapaz é um irmão de criação que teria sido identificado apenas como Júlio. Ele ainda não apareceu para prestar esclarecimentos à polícia e segundo relatos de familiares, Maxuell estava em frente a casa da mãe, na Rua Barão de Tecé, bairro Jardim Centro-Oeste quando o acusado chegou em uma moto, discutiu e disparou três tiros.

O corpo de Maxuell está sendo velado em uma Capela da Pax na Rua Treze de Maio. A mãe da vítima não quis se manifestar sobre o caso.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também