quinta, 19 de julho de 2018

CADASTRO DESATUALIZADO

Falta de registro de filiação no TSE atormenta Takimoto

12 JAN 2011Por Fernanda Brigatti00h:00

 

 

Uma defasagem na atualização de dados no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) resultou em dor de cabeça ao deputado eleito George Takimoto (PSL); provocou alvoroço no partido e criou expectativa de suplentes torcendo para a cassação do seu diploma. Se isto realmente acontecesse, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) teria de recalcular os 23.646 votos para a convocação de um suplente que tanto poderia ser do partido Takimoto quanto de outra agremiação partidária.

O primeiro suplente da coligação de Takimoto é Ângelo Guerreiro (PDT), que obteve 16.449 votos. Mas se fosse um do PSL seria Alceu Bueno com 12.243 votos. Como o TRE atualizou ontem à tarde o cadastro de filiação, os dois ficaram apenas na expectativa. Takimoto continua sendo o deputado estadual eleito pela coligação do PSL.

A confusão começou na disputa eleitoral para prefeito de Dourados. Representante do partido na coligação Unidos por Dourados, que tem Murilo Zauith (DEM) como candidato na eleição extemporânea, Takimoto foi acusado pelo PMN de não estar filiado ao partido pelo qual se elegeu. O TRE de Mato Grosso do Sul confirma, no entanto, que a situação eleitoral do ex-vice-governador é regular.

O PMN pediu a impugnação da candidatura de Murilo usando como argumento o fato de que um dos representantes da coligação não teria filiação partidária e anexa uma certidão do TSE, em que o órgão atesta a não ligação de Takimoto a partido algum.

Segundo o TRE, o processo de registro de candidatura e diplomação de George Takimoto só foram aprovados pois a documentação exigida estava regular. Ele está filiado ao PSL desde 28 de setembro de 2009, segundo recibo anexado ao processo (veja reprodução nesta página).

Na relação de filiados do PSL de Dourados, o deputado eleito também consta como filiado junto à 55ª Zona Eleitoral. O TRE ressalta que a candidatura de Takimoto só foi aprovada depois de parecer da Procuradoria Regional Eleitoral e análise dos documentos exigidos e, ainda, da conferência junto ao sistema do tribunal.

A assessoria de imprensa do TSE confirma que há uma defasagem de atualização no sistema do tribunal, mas informou que não pode afirmar que tenha sido esse o caso de Takimoto. Segundo o TRE, não houve tempo, no ano passado, do cartório atualizar, para o TSE, a relação dos filiados dos partidos. Esse procedimento é feito duas vezes ao ano.

A coligação Unidos por Dourados ainda não foi notificada do pedido de impugnação feito pelo PMN e informou que só então vai tomar conhecimento das alegações do partido. O deputado eleito George Takimoto foi procurado pela reportagem, mas não retornou as ligações.

Leia Também