Campo Grande - MS, segunda, 20 de agosto de 2018

DRENAGEM EM TRÊS LAGOAS

Falta de pagamento de recursos param obras

6 ABR 2011Por da redação16h:33

Em entrevista à Rádio Caçula na manhã desta quarta-feira(06), a vice-governadora Simone Tebet esclareceu grande parte da polêmica que envolve as obras de drenagens e asfalto no município de Três Lagoas.

O alagamento ocorrido na região do bairro São Carlos, por causa da chuva forte do último sábado, gerou transtornos à população, mas também uma grande polêmica. A paralisação das obras de drenagem e asfalto, que já haviam sido iniciadas. Protestos da população receberam grande destaque na imprensa local.

Por conta da repercussão, a vice-governadora Simone Tebet veio a público esclarecer que as obras estão paralisadas não apenas por causa das chuvas, mas, principalmente por falta de pagamento dos valores vindos do governo federal. Medições que já foram feitas e não pagas estão paralisadas desde agosto de 2010. A maior obra de drenagem da administração de Simone no valor de R$ 5 mi que abrange o Parque São Carlos, Jardim Caçula, São João, Santos Dummont, Vila Terezinha, Vila Zucão não pode continuar porque os recursos conseguidos em 2008 com empenho do governador André Puccinelli e do atual deputado federal Edson Girotto não foram pagos. Além disso, também estão bloqueados recursos de R$ 3 mi em emendas do senador Waldemir Moka, na época deputado federal que garantiriam 90 mil m² de asfalto ao Jardim Dourados, Vila Nova e Novo Aeroporto.

Só no Parque São Carlos a empreiteira precisa receber meio milhão de reais do governo federal de recursos que não foram pagos. Desde agosto do ano passado a empreiteira responsável pela execução não recebe por 40% das obras que já executou.

“É preciso que a população entenda o que está acontecendo com as obras de drenagem e asfalto em Três Lagoas, que não é apenas a chuva que está emperrando a continuidade do trabalho”, diz Simone.

“Eu entendo que os moradores queiram se manifestar, e concordo, porque os transtornos causados são muitos. Esperamos que a presidente Dilma tome medidas para que estas verbas sejam liberadas. O governo federal tem o prazo até 30 de abril para decidir sobre os chamados “restos a pagar” de emendas parlamentares de 2007,2008,2009. Até lá a prefeita Márcia Moura não tem o que fazer, nem que ela quisesse. Teremos que esperar e acreditar no governo federal para que a partir de maio as obras continuem”, conclui a vice-governadora.

Já as obras com verbas do município e do governo do Estado devem começar assim que as chuvas se paralisarem. “Tem muitas obras boas para serem iniciadas com verbas municipais e estaduais”, garante Simone.

Leia Também